sábado, 10 de junho de 2017

Brasil: um verdadeiro "Ménage àTrois"!!

É...! Tá difícil!! Esperei passar o "calor dos acontecimentos" pra digerir ou tentar digerir melhor o que aconteceu ontem no TSE. Lembram que há tempos atrás, aqui mesmo no blog, eu coloquei em dúvida a lisura do Gilmar Mendes em relação à cassação da chapa Dilma/Temer? É fatal: quando você vir um cara que julgará aquele outro cara, aceitando convites para passeio internacional, coloque suas barbas de molho. O que mais me impressionou ontem na hora do seu voto de minerva, é que foi o próprio Gilmar Mendes na era Lula/Dilma bradou aos quatro cantos que o Brasil estava "vivendo uma verdadeira CLEPTOCRACIA..."! Aí eu pensei: esse é o cara que, como presidente do TSE, vai "passar o Brasil a limpo"! Não foi isso que ele fez ontem. O Relator do processo de cassação da chapa Dilma/Temer, Ministro Herman Benjamin, chamava a atenção no seu voto para a chance única que aquela Corte estava tendo de se firmar como verdadeiro esteio da Justiça Eleitoral. Ele falou que o "Brasil jamais terá outra oportunidade como essa..."! E ele estava certíssimo: nunca mais o País será passado a limpo porque venceram os vendilhões da Pátria, os ladrões e corruptos. Como venceram os cafetões e capitães do mato travestidos de Ministros de alguma Corte, como o Gilmar Mendes. É o que eu falo sempre: não pode haver independência entre os Poderes, se o chefe de um destes é quem nomeia a alta cúpula de outro! Será que alguém esperava que os dois ministros do TSE, indicados por Temer, fossem votar contra seu "Senhor"? Será que alguém esperava que o Gilmar Mendes fosse votar cotra seu "amigo do peito"? Por não gostar do Lula e da Dilma, o Presidente do TSE vociferou várias vezes que o Brasil havia se tornado uma "cleptocracia", uma vez que os dois ex presidentes haviam chafurdado no lamaçal da corrupção. Muito bem: e o que fez o seu "amiguinho" senão confirmar sua famosa expressão de falsa indignação? Parece que ele aprendeu com o saudoso ACM que "para os amigos, tudo! Para os inimigos, os rigores da Lei"! Foi isso que aconteceu ontem no TSE. Depois do julgamento encerrado, fico a me perguntar se todo trabalho cansativo, perigoso e brilhante da Força Tarefa da Lava Jato não terá sido em vão! Sim, porque depois da esculhambação promovida por três "capangas" e um "capitão do mato" a serviço de um canalha palaciano, as investidas da Lava Jato no sentido de julgar prender os ladrões desse País vão, infelizmente, enfraquecer. Com a decisão de ontem, o Sr. Gilmar Mendes, em outras palavras, disse: "negada, pode fazer caixa 2, 3, 4..., pode sangrar qualquer Estatal, pode receber "ajuda" de qualquer grande empresa, pode fazer qualquer tipo de "suruba" que nós, Ministros das mais altas Cortes do País, estaremos sempre de prontidão para vos perdoar"! Essa promiscuidade, essa "suruba federal" que estamos vendo há algum tempo, deixa qualquer cidadão que tenha um pingo de respeito pela Ética e bons costumes, com a terrível sensação de impotência e de que não adianta lutar. Sempre fui contra vandalismos nas passeatas de reivindicações ou quaisquer outra manifestações. Mas, convenhamos, dá uma vontade louca de virar bandido e arrebentar com tudo e com todos que, sob a proteção de uma Toga imunda e da pompa de um plenário bem decorado de uma alta Corte, praticam o pior de todos os vandalismos: a expressa autorização para que governantes cometam toda espécia de crime porque a impunidade é certa! É triste. Para nosso azar fomos colonizados por portugueses. Bem poderíamos ter sido "achados" por franceses. Pelo menos, trocaríamos a feia palavra "suruba", tão praticada  pelos Três (ordinários) Poderes  diuturnamente, pela elegante expressão "Ménage à Trois"! Não seria bem mais chique?

Nenhum comentário:

Postar um comentário