quinta-feira, 27 de outubro de 2016

O Bandido e o Político: Tudo a ver!!

Em poucas situações na vida uma coisa está tão ligada à outra, ou é tão comparável à outra como as “profissões” de Bandido e Político. Em algumas áreas não se consegue tamanha igualdade de  aprendizado para se chegar ao “topo do conhecimento”em tão pouco tempo!  Se você analisar como um Político do alto escalão ou até mesmo alguns Presidentes ladrões e corruptos foram lapidados, e se depois traçar um paralelo com grandes Bandidos, verá que ambos tiveram que trilhar o mesmo “caminho do saber” para chegarem onde chegaram. Vou começar pelo Bandido (estou usando maiúscula porque merecem o mesmo “respeito” que nossos Senadores, por exemplo!): o moleque, em casa, acha algumas moedas  em determinado lugar, que foram deixadas ali para  comprar, por exemplo, o pão ou, como na minha época, “meio litro de gás” na venda, o que vinha a ser Querosene. A criança furta essas moedas e, quando a mãe reclama que alguém apanhou, fica calado. Nada acontece. Na segunda vez, como não aconteceu nada na primeira, novo furto e a descoberta do autor. Em vez de punir exemplarmente o filho, a mãe deixa pra lá, achando tratar-se de “travessura de criança”! Na rua ou na casa de outras pessoas, qualquer dinheirinho  ou objeto de pouco valor são agora os tesouros caçados por esses aprendizes de ladrões. Não raro, quando chegam em casa com essas quinquilharias e perguntados “onde achou isso?”, dizem que acharam na rua e a mãe ou pai aceitam a explicação. Maiorzinho, o moleque passa a praticar furtos mais interessantes e pequenos roubos. Mesma ladainha de que achou na rua e a justificativa novamente é aceita. Aí abriu-se o caminho para o futuro assaltante! Tvs, celulares, câmeras fotográficas, etc., etc., são sempre frutos da “sorte que esse menino tem de achar as coisas”! A letra de Meu Guri, do Chico Buarque, retrata muito bem isso. Já na “Universidade do Crime”, o céu é o limite agora. Bandidão de primeira linha! Com os políticos não é diferente: o “ladrão de moedinhas” é o Vereador: com algumas moedas perfazendo totais de R$20 ou R$30 Reais começam a roubar uma consciência aqui, outra ali, com um botijão de gás aqui e outro ali, conseguem se eleger. São, na sua imensa maioria, legisladores inoperantes e muito caros, a exemplo da Câmara de Vereadores de Mairi, onde as torcidas do Bahia e do Flamengo sabem  como se elegeram seus “nobres” Edis! Depois, achando pouco, candidatam-se a Prefeito, levando consigo uma bagagem de malfeitos já considerável. Aprendem rápido. Conseguem se eleger! Aí, nesse cargo, já estão fazendo o “Cursinho” para a Faculdade da Roubalheira. Os que “se preparam” bem, chegam rapidamente a Deputados Estaduais. Ampliam consideravelmente os conhecimentos do “toma lá da cá”, iniciados quando ainda Vereadores. Chegam, alguns, a Deputados Estaduais, graduados na arte de roubar o povo e partem daí para a “Pós Graduação” (Governador de Estado), “Doutorado” (Senadores) e “Mestrado” (Presidentes da República)! Há quem seja tão habilidoso que queima todas as etapas anteriores e chega, com diploma falso e tudo, ao “Mestrado”, mesmo que tenha conseguido quebrar uma lojinha de R$1,99! Haveria de ter exceção, senão estaríamos contrariando a Língua Portuguesa! Em alguns casos, é até insulto ao Ladrão quando qualificamos um Político como tal. Nas raríssimas exceções que chegam ao “Mestrado” da Política, a trajetória não começou com a subtração de algumas moedas...!! Só uma coisa é unanimidade: os dois, Bandidos e Políticos, detestam postos de gasolina! E não é porque o combustível teima em se manter caro! Simplesmente porque em dias tensos como os que vivemos, preferem deixar seus carros sujos!


Nenhum comentário:

Postar um comentário