sexta-feira, 23 de setembro de 2016

O lixo que o povão compra caro!

Estava passando hoje na minha rua e, de um bar vem o som da Tv, sintonizada num lixo de programa, apresentado por outro lixo. O "jornalista" é um tal Zé Eduardo, que depois de um sangrento programa com o sugestivo nome de "Se liga bocão", agora apresenta o Balanço Geral, se não me engano, da afiliada Record na Bahia, Tv Itapoã! Aliás, o nível desses programas apresentados pelo Brasil inteiro é ridículo. Mas como é feito para uma fatia (enorme) da população sem senso de autocrítica, tem uma audiência enorme. E o horário? Em pleno meio-dia, você almoçando e vendo o sanque de acidentes ou feridos em tiroteio escorrendo pela Tv. O que ouvi hoje me revoltou: o tal apresentador falando da Aids, pelo que entendi, fez a seguinte piada: "...Agora, azar mesmo é o cara pegar Aids da própria mulher"!! E ao fundo, aquelas risadarias gravadas e ele esculhambando! Como o programa é dirigido para pessoas pouco esclarecidas, fez o comentário maldoso e pronto. Sequer se deu ao trabalho de explicar, se é que sabe, que  a Aids pode ser contraída de várias formas que não a sexual. Enfim, estamos na Bahia! O povo paga caro por um lixo que não somará nada a sua vida, além de canalizar para suas casas a pior energia que o Universo produz! Cada gosto é um gosto, por pior que possa parecer!

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Arte é para quem sabe apreciar!!!

Decididamente, essa sua insistência em dizer que essa Obra de Arte são "caixotes de feira", me irrita e muito!! Você,  pessoa cega, não consegue enxergar três módulos de cozinha que se encaixam perfeitamente, formando um "pin" (veja pinterest.com) que, além de funcional, combina com a grandeza do "Espaço Gourmet" dessa residência! Foi preciso voltar a morar em Salvador para acordar o grande "Gaudi, famoso Arquiteto Catalão" que dormia em mim! Essa Peça especial que denominei como sendo um Armário/Bancada com apoio mútuo,  tipo assim Congresso Nacional, sabe?, para receber um precioso fogão de aparência minimalista ou espartana, como costuma dizer  um Pensador amigo meu, Luthier Al Cícero. Só quem tem Arquitetura e a Marcenaria de Fino Acabamento no sangue, como eu, "saberá me dar valor, dar valor"! Aqui não "vale quanto pesa pra quem presa o louco bum bum do tambor" não! A leveza de uma Obra de Arte, pra quem conhece, pesa uma Existência! Mas, se depois de todos esse "arrudeio", você continuar achando que meu Armário/Bancada para fogão especial de aparência minimalista, são reles "Caixotes de Feira", ok! Como meu bom amigo, jamais travaria um embate infrutífero contigo. Mas te garanto uma coisa: o rango sai uma delícia. Hoje tenho Cupim ao molho de cebola, adquiridos direto de um fornecedor especial: Mercadinho Amorim! Tá servido?



quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Quando a Vida imita a Arte!!

Desde 1º de setembro até o dia 18 eu fiquei "fora do ar" no quesito Tv. Voltei para Salvador e no novo lar não disponho do tal aparelho. A amiga onde eu assistia alguma coisa, deixou de ver a Globo. Então, mais do que normal a minha desinformação nesse meio tempo. Até que veio a notícia da morte do Domingos Montagner. Aí me veio todo o filme das duas etapas da novela Velho Chico! Como pode haver tantas coisas interligadas que, se juntarmos, levar-nos-ão a acreditar que a Vida pode sim, imitar a Arte! Quem esperava um fim tão trágico e tantas vezes desenhado no desenrolar da trama? Há somente alguns dias, após ser baleado, o "Santo dos Anjos" se joga nas águas do Velho Chico com a certeza de que seria salvo! Quem não viu a "raizeira", mãe de Beatriz colocando nas águas do rio, oferendas para o "Nêgo D'Água", entidade por demais respeitada pelo povo ribeirinho? No  município de Mairi, a Fazenda Licurisal onde nasci, fica às margens do Rio Jacuípe. Antes das famigeradas barragens, quando chovia na sua nascente em Morro do Chapéu e ele corria solto, ouvíamos o barulho das suas águas levando tudo que estivesse em seu caminho, com um barulho tão grande que era ouvido na sede da fazenda, a uns 4 quilômetros de distância. Era muito lindo de ver: "Ôxe, é água preta..., água do Morro! Quem é besta de tentar atravessar? E quem pode desafiar o Nêgo D'Água"? Essa era a conversa mais corriqueira de toda a população ribeirinha. Tínhamos medo sim das "entidades" do rio, principalmente dele! Um pouco mais adiante da fazenda onde nasci, rio abaixo, tinha um poço famoso por que nenhum mergulhador da região havia tocado o seu fundo! Quando alguém pronunciava "Poço dos Foles" muita gente se benzia em sinal de respeito e medo! Voltando à história do ator, fico de cabelo em pé com tantas coincidências que sei que não existem; como pode um simples enredo de trama terminar de forma tão real? Estarão os "Encantados" zangados com tanta exposição? A superstição é muito grande na novela e tudo gira em torno de Entidades Encantadas! Será que alguém não está brincando demais com as Energias do Universo? Sinceramente, vendo a novela de ontem para cá, fico realmente preocupado com tanta coincidência! Não é possível que seja apenas isso! Como precisamos e muito de evolução para compreendermos os Mistérios do Universo, vamos, por enquanto, creditando acontecimentos como esse, às fatalidades da Vida! Mas que é assustador, isso é!! Que os Irmãos de Luz o recebam e o conduzam ao Criador!