sábado, 7 de maio de 2016

Um Delegado ou uma MÃE?

Não é de hoje que sabemos e conhecemos aquele ditado popular, tão em evidência nos dias de hoje: "Uma Mãe é pra 100 filhos e 100 filhos não são para uma Mãe"! Verdade pura. As exceções são tão poucas, tão escassas, que na maioria das vezes ficam invisíveis. Até aparecer uma pessoa que mostra, a despeito da sua profissão, que o amor ao próximo é possível de compartilhar infinitamente. E, como toda coisa boa de Deus, quanto mais você divide, mais você tem, mais você recebe! É fantástico! Fiquei extremamente feliz ao ver hoje uma matéria do Jornal Nacional, feita em Anápolis, que deve ter enchido de vergonha os corações frios de muitos filhos que, por pura intolerância ou por pura maldade, literalmente jogam seus pais em abrigos. Alguns desses lugares de repouso são acolhedores e aconchegantes. Mas no Brasil, o que mais existe são verdadeiros depósitos de seres humanos, notadamente idosos. Não entendi e nem foi divulgada na reportagem feita em Anápolis, Goiás, quais foram os maus tratos que uma idosa sofria. Não disseram se foi de algum "depósito" ou da família. O fato é que o Delegado da cidade, compadecido com a situação da senhora, levou-a para um abrigo decente, adotando-a. A história se espalhou e logo veio a ideia de se criar um Dia das Mães diferente: nesse dia, as pessoas da cidade escolheriam uma Mãe do abrigo para serem, pelo menos por um dia, suas mães. Não preciso dizer que durante a gravação de matéria, lá estava o Dr. Manoel Correa, Delegado da Polícia Civil de Anápolis – GO, com sua “filha” linda e feliz, por ter recebido de um estranho, o que era seu por direito, mas que seus filhos, que tanto trabalho lhe deram, renegaram-lhe a descendência e negaram-lhe um pouco do muito que dela receberam e receberiam, se ruins e mesquinhos não fossem! Queria dar um abraço, mesmo que virtual, no Dr. Manoel Correa, da Polícia Civil de Goiás e dizer-lhe que, a despeito das coisas negativas que creditam às Polícias brasileiras, atitudes como essas nos dão a certeza de que, como os Bombeiros, os Policiais são também nossos anjos da guarda. São serem humanos que têm os mais nobres sentimentos. Se às vezes não demonstram deve ser porque, com o trabalho árduo que exercem todos os dias, ainda têm de suportar algumas enxurradas de acusações na sua maioria injustas. Mas superam e se superam no exercício das suas funções. Como seria bom se mais cidades copiassem essa ideia! Não seria necessário que o delegado tomasse a iniciativa: qualquer pessoa poderia fazê-lo. Já pensaram a alegria que poderíamos dar a essas pessoas que estão, na sua maioria, marginalizadas? Pensemos nisso! Aliás, seus filhos realmente cuidarão de você caso necessite um dia?

Nenhum comentário:

Postar um comentário