sexta-feira, 6 de maio de 2016

A Cesta já não é do povo: a carniça aos Abutres!!

Estava demorando!! Mas finalmente aconteceu: o programa Cesta do Povo, da Empresa Baiana de Alimentos - EBAL, está com os dias contados. Esse programa, criado pela "malvadeza" de Antonio Carlos Magalhães, tem o objetivo de ofertar produtos de primeira necessidade às classes menos favorecidas, inclusive servindo como balizador de preços, não deixando que grandes redes de supermercados pratiquem preços abusivos. A política no Brasil é um verdadeiro chiqueiro: porcos de todos os lados não permitem o sucesso de algum programa criado por seus adversários! A desculpa para o encerramento do programa Cesta do Povo, como quer o atual governador Rui Costa, é a de que a folha de pagamento está inchada. Pois bem: se a EBAL tem por princípio a valorização do pequeno produtor, comprando seus produtos para serem vendidos nas muitas lojas da Cesta do Povo, combatendo o atravessador, como pode um programa desses dar prejuízo? Não me parece uma justificativa plausível. Já trabalhei na EBAL de janeiro a agosto de 1992, no Setor de Arrecadação, no Ogunjá, e os absurdos que todos tinham conhecimento eram mais corriqueiros do que se imaginava. Apenas na Loja do Ogunjá eram desviados, segundo comentários de funcionários da própria EBAL, revoltados com o verdadeiro saque pelo qual o programa passava, alguns caminhões de mercadoria! Devo lembrar que a administração do Programa Cesta do Povo, nessa época, era do antigo PFL, hoje Democratas. No interior, nesse mesmo período, eram gritantes os casos de desvios de mercadorias das lojas sendo que alguns gerentes chegaram a montar pequenos mercadinhos com o produto do desfalque. Mas, se com tudo isso, o programa era superavitário, por que, com uma fiscalização mais eficiente, como imaginamos que exista hoje, o programa vai ser desativado? Se os desvios e desmandos acabaram na EBAL - Cesta do Povo, por que deixar todos os funcionários públicos estaduais e as pessoas de menor poder aquisitivo, sem essa boa opção de compra? Quem regulará o mercado se o programa Cesta do Povo for desativado como quer o Governador? Lojas de cidades bem maiores que Mairi já encerraram suas atividades, a exemplo de Capim Grosso. Pessoas já perderam seu emprego, fazendo agora, parte da estatística perversa dos quase 12 milhões de desempregados criados pela Dilma! Ao que parece, o Governador Rui Costa quer fazer da Bahia um arremedo de Venezuela, onde falta tudo, desde os alimentos mais básicos. Seria sua nefasta contribuição para a implantação de uma vez por todas da Ditadura do Proletariado, sonho de consumo de 11 entre 10 comunistas. A lógica é manter o povo na miséria para que, com bolsas-qualquer-coisa, torná-lo ignorante, sempre refém de suas lideranças. E o que me deixa espantado é ver professores que estão sentindo na pele os cortes feitos na Educação, defenderem ferrenhamente seus algozes! Essa é a pior ignorância que existe. Ainda bem que "cada diabo manda 6 meses" e o tempo deles está se esvaindo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário