quinta-feira, 14 de abril de 2016

É...! Estou ficando velho!!

Não tem jeito: se você quiser ver e ouvir boa música, ou recorre ao seu acervo pessoal ou se conecta ao You Tube e busca. Rádios? Nem pensar! Numa cidade, como Salvador, por exemplo, o seu "dial" tem certamente mais de uma dezena de rádios à sua disposição. Quer dizer, à disposição de ouvidos surdos e cegos. São raríssimas as exceções. Mais ou menos 4 ou 5 emissoras que valem a pena sintonizar. É pouco para a preservação da boa música. A esmagadora maioria massifica um ou outro estilo, impondo às pessoas iletradas, grande maioria no País da "Mortandela", o que lhes convêm, com o único intuito de faturar alto, em cima da ignorância alheia e coletiva. Reparem que a fórmula é sempre a mesma: vejam os cenários do Wesley Safadão (meu Deus!!), Aviões do Forró, Calcinha Preta, Gustavo Lima, Jorge e Matheus, João Neto e "sei-mais-lá-quem", tudo igual. Uma ou outra diferença mas a essência é a mesma. Até porque quem projeta os cenários, quem produz as bandas e quem compõe, se é que podemos chamar "Metralhadora" ou "A mulherada na balada bebe, bebe e fica louca! Ai! Fica louca! Ai! Fica louca..." de composições. Sem contar os cenários de Pablo, Silvano Salles, Tayrone Cigano tão ruins quanto os estes. Entre os "sertanejos universitários" a deixa das letras é a ostentação ou a apologia à bebida. Um risco para as cabeças já ôcas que estão se formando. Entre os "arrocheiros" a predominância é a dor de corno ou o machismo. Nem uma porcaria nem outra contribui pra coisa alguma, além de enfeiar o cenário artístico. Ninguém precisa ser artista para compor as músicas atuais. Nenhuma delas! Artista Compositor, além de trabalhar a beleza dos versos, trabalha a simplicidade da harmonia, que, apesar das poucas manobras harmônicas, está longe de ser maçante ou insossa! Clássicos como "O Cuitelinho", dentre tantas outras, são músicas simples, de fácil assimilação mas de um encanto poético enorme! De resto, a "música" atual é sexualmente apelativa. O pior grande exemplo disso é o tal "pagode baiano"! Um monte de bandas (muitas com excelentes músicos!) tocando uma batida onde o erotismo não é o ponto chave, mas a libertinagem pura e simples, mostrada através das chamadas danças que são, em qualquer alcova, uma trepada de tirar o fôlego de qualquer um. E a mulherada que dança no palco e na platéia, se entrega de corpo e alma, achando-se exímias bailarinas. Na minha opinião, as prostitutas de ontem morreriam de vergonha! Por essas e outras é que tenho a certeza de que estou ficando velho. Não me resta dizer mais nada, além de um... "graças a Deus"!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário