segunda-feira, 21 de março de 2016

A "Carta" que virou "bilhete"!!

Não é de hoje que ouvimos a história de que jornal tal é totalmente de esquerda - lembram do Pasquim? -, que aquela revista é uma publicação "chapa branca", que tal jornalista recebe agrados do governo para produzir matérias favoráveis ao Executivo, etc. Dentre as revistas famosas do Brasil, uma tem certo destaque há muito tempo. Volta e meia me via entre pessoas que, de vez em quando, citavam como ponto balizador da correta interpretação de alguns fatos, a revista Carta Capital. Vários intelectuais, em suas entrevistas, faziam questão de citar a publicação, como sendo o suprassumo da coerência política brasileira. Confesso que muitas vezes fiquei curioso a respeito da tal revista. Gosto de ler, sou assinante de algumas publicações, leio também revista e jornais velhos porque, se aquela matéria não me foi apresentada quando da sua divulgação/publicação, pra mim é nova. Informação não tem data ou idade. Pois bem; nunca consegui ter nas mãos um exemplar da Carta Capital, tão louvada pela intelectualidade brasileira. Primeiro, sempre desconfiei dos "intelectuais boina Che"! São extremamente repetitivos não  admitem contra argumento. Daí eu procurar manter distância dessa galera. Sou "analfa" e não quero constranger "sábio" nenhum. Acho que foi pura sorte ou alguém me protegeu. O fato é que nunca li uma revista Carta Capital. Pois bem; por conta dos últimos acontecimentos, descobrimos o nome do verdadeiro Editor da revista: Sr. Luis Inácio Lula da Silva!! Pode parecer piada mas, um cara que se orgulhou em dizer que nunca lera um livro é quem dá as cartas na Carta, com trocadilho e tudo! E fico pensando: por que a galera do PT chama a Veja, Globo, etc., de "imprensa golpista"!! Ou seja: "produzir" notícias com a clara intenção de confundir ou engabelar o povo, através de uma revista absolutamente atrelada aos interesses do PT, pode!! Se alguém discorda, é golpe! Não sei até onde isso vai, mas o que tenho certeza nesse momento é que, casa vez mais, o partido que foi quase unanimidade nacional, juntamente com seu chefe, hoje anda pra trás, recorrendo aos "moleques de recado" como o Mino Carta, que permitiu que sua revista alcançasse o ápice do sucesso transformando-se num mero "bilhete" mal escrito, o que de fato poderia ser uma grande publicação nacional. Oportunidades perdidas normalmente não retornam! Uma pena!

Nenhum comentário:

Postar um comentário