quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

As Cinzas do Carnaval Mairiense!

Mais um Carnaval que acaba e não acaba bem: novamente tivemos várias confusões envolvendo a galera jovem e, ontem, no último dia da "brincadeira", um mascarado atirou e matou um rapaz. Muito se fala das ações de prevenção que as polícias, principalmente a Militar, poderiam deflagrar durante os dias do reinado de Momo. Temos uma única viatura e a onipresença não pode ser cobrada. Se, por acaso, fizessem uma revista num grupo de mascarados, outros grupos poderiam agir em outros cantos. Isso sem contar com a garantia que os mascarados devem ter de serem preservadas as suas identidades. É complexo sim. O que falta são os limites que, hoje, por conta da Lei que "protege" a criança e o adolescente, os pais não podem impor! Vira uma bandalheira, justamente porque a polícia muito pouco pode fazer, justamente por causa das limitações das suas ações, impostas pelo famigerado Estatuto da Criança e do Adolescente. Todo adolescente tem a a certeza da impunidade e que não pode ser preso. Quando muito, ele é apreendido e levado à autoridade competente, no caso, a Vara da Infância. Não sei como essa ramificação da Justiça funciona aqui numa cidade tão pequena. Um outro problema seríssimo que eu queria abordar nesse espaço e nas redes sociais, é o fato de crianças entre 10 e 12 anos, principalmente do sexo feminino, usarem uma ruazinha estreita e sombria ao lado da minha casa, para encontros amorosos, a venda e consumo de drogas. Esse fato é alarmante, porque já se tem notícia de mães que aliciaram as próprias filhas menores, para fazerem a distribuição e o consumo dessas substâncias. Nos períodos de aulas, as mocinhas usam duas blusas: uma com a logomarca do colégio onde estudam, ou pelo menos foram matriculadas e, depois do acerto com os namoradinhos, em plena luz do dia retiram a blusa do colégio e adentram o "beco" para namorarem. Existe até um casal adulto que usa droga junto e depois desata a brigar, não raro falando das "incompetências" sexuais de cada um. Uma verdadeira baixaria. Todos os dias de finais de semana, nosso "beco do amor" fica repleto de jovens casais para "namorar"! A pergunta é: será que os pais, principalmente dessas garotas sabem realmente onde elas estão? É comum também, como aconteceu ontem à tardinha, entrarem no "beco", consumirem drogas e voltarem à folia. Aí, a partir das 9 ou 10 da noite retornam ao "ninho de amor"! Certamente que um casal que se esconde num beco escuro não está apenas trocando eternas juras de amor entre beijinhos e simples abraços. Em alguns dias, quando vou guardar a moto ou o carro, como nosso portão fica na lateral do muro, vejo vários casais nos cantinhos mais escuros. Claro que desligo os faróis pra não constranger ninguém. Mas cabe uma ação mais atenta por parte dos pais. Mesmo com as restrições impostas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, uma investigação surpresa do tipo "por onde anda meu filho(a)" não seria ruim. Inclusive para preservar a integridade física principalmente das meninas. Nossa sociedade ainda machista acha que o homem "pode tudo"! Claro que não é bem assim, mas sabemos que uma gravidez aos 12 ou 13 anos só complicará a vida da mãe. Espero que as autoridades, os pais e os órgãos competentes tomem conhecimento dessa absurda situação. Estou falando de garotas ainda sem seios, pra vocês terem uma ideia mas completa do absurdo. Que nossos próximos carnavais não acabem em cinzas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário