segunda-feira, 21 de setembro de 2015

"Chão de Fábrica"!

Fazia muito tempo que não via uma coisa interessante na Tv aberta num domingo. Ontem à noite, assistindo ao Fantástico, tive uma maravilhosa surpresa, com o quadro "O Chefe Secreto"! Consistia em colocar, literalmente, dentro da fábrica, junto com os operários, um alto Diretor para que, além de "bisbilhotar" o funcionamento da empresa como um todo, também serviria como avaliação quanto ao real conhecimento desse Diretor, em relação aos possíveis problemas da empresa. A Empresa de ontem foi a Stemac, fabricante de grupos geradores com sede no Rio Grande do Sul e filiais em quase todos os estados do Brasil. O escolhido como "novato" foi o Diretor Administrativo-Financeiro. Passou por várias filiais, trabalhou na montagem de um gerador (o excelente mecânico "Cigano" deu uma sacaneada no "novato"), passou pelo pátio de carga onde ajudou a carregar e enlonar um caminhão, para depois descobrir que havia um problema com as Notas Fiscais e que teria de desfazer todo o trabalho de uma manhã. Felizmente o problema foi resolvido sem precisar descarregar o caminhão. Nesse momento, um dos avaliados era o motorista, pernambucano e extremamente zeloso com os interesses  da Empresa. O "novato" vai mentalmente anotando tudo, ao mesmo tempo em que puxava conversa, sempre perguntando sobre os sonhos de cada um. Em São Paulo, no Almoxarifado, encontrou um funcionário que dormia apenas quatro horas por noite e que lhe ensinou a usar o leitor de códigos de barra para despachar o material. Descobriram aí uma falha no sistema. O "novato" também descobriu que o Almoxarife estava pagando uma faculdade para crescer profissionalmente dentro da empresa. Numa outra filial, conheceu um peruano de uns trinta anos e que, na hora do almoço, além de generosamente pagar o almoço do "novato", ainda disse que "a melhor coisa que me aconteceu foi vir para o Brasil. Vocês não sabem o País que têm"!! E quanto aos seus sonhos, queria levar o filho para conhecer a Disney. Muito bem: depois dessa experiência, o Executivo volta para a matriz no Rio Grande do Sul com tudo devidamente anotado em relatório que fora produzido para colocar sob apreciação dos outros Diretores. Todos os problemas encontrados foram postos sob avaliação com a intenção, claro, de eliminá-los, tornando assim a empresa mais produtiva e os funcionários com menos atividades improdutivas, como carregar e descarregar um caminhão, pelo simples fato de as Notas Fiscais chegarem de forma errada. Eu vi a trabalheira que foi carregar e amarrar a lona no caminhão. Realmente, muito cansativo. Imagine fazer isso pelo menos duas vezes por dia em todas as filiais!!! O ponto alto da emoção foi quando o Diretor Financeiro convocou todos os funcionários que trabalharam diretamente com o "novato", para comparecerem à sede, no Rio Grande do Sul. Não precisa dizer as caras apreensivas dos funcionários. O "novato", que fora caracterizado com dentadura postiça, sobrancelhas diferentes, óculos feioso, ficou irreconhecível. Na sede e na sala do Executivo, cada um foi sendo chamado. O Diretor se apresentou formalmente e o funcionário ficava literalmente "voando", até a clássica pergunta: "Você não se lembra de mim"? Como a resposta era invariavelmente "não", ele então falava que era o "novato" fulano de tal. Aí as caras mais engraçadas do mundo: uns pareciam sair de uma pegadinha, outros pareciam não acreditar, mas o melhor foi o mecânico "Cigano" que zoara com o Chefe: tomou um baita susto e depois de ser veementemente elogiado, desabou no choro. Em resumo, ficou assim:
O mecânico "Cigano" voltou a estudar por conta da Empresa, porque o Diretor lhe dissera que não "queria perder o profissional tão capaz e caprichoso no que fazia"!
O Motorista, que estava pagando um tratamento oftalmológico da sua filha a um custo de aproximadamente R$1.000,00 (Hum mil reais) por mês, além da Empresa assumir o tratamento da moça, ainda deu uma viagem de uma semana para Vitória do Santo Antão para que ele pudesse rever os 14 irmãos e outros familiares, já que fazia um bom tempo que essa visita era adiada.
O Almoxarife recebeu um aumento salarial de 35% e a Stemac assumiu a Faculdade do funcionário até a formatura.
O Peruano, recebeu, além dos cumprimentos pelo seu zelo com a Empresa, uma viagem à Disney para que seu sonho fosse realizado. Gente, confesso que não apenas os funcionários da Stemac choraram: do lado de cá da tela, também eu. E foi muito bom ouvir o Executivo confessar que não tinha ideia do que os funcionários passavam dentro da empresa. Às vezes, trabalhos extenuantes poderiam ser evitados, como a história das Notas Fiscais, por exemplo. Mas que ele havia observado que mesmo com os erros de comunicação do Sistema, eles vestiam a camisa da empresa. Disse também que aprendeu muito com aqueles funcionários. E certamente aprendeu. Quero deixar aqui o meu abraço para a STEMAC por ter aceito o desafio de colocar um dos seus Executivos no "chão da fábrica" para avaliar e se auto avaliar. O resultado foi, na minha opinião, maravilhoso, como maravilhosa foi a iniciativa da Empresa em retribuir a dedicação dos seus funcionários com a ajuda na realização dos seus sonhos! Ah! E o Executivo ainda toca violão! Perfeito!