sábado, 11 de julho de 2015

E viva a Leitura!!

Não existe nenhuma dúvida de que, quem quer realmente aprender, tem de estudar. Não estou falando só do estudo considerado normal como Nível Fundamental, Nível Médio e Faculdade. É claro que essas fases não devem ser queimadas. Mas, na impossibilidade de seguir adiante, por algum motivo, ainda assim a pessoa pode continuar estudando. Você não precisa necessariamente de uma sala de aula para estudar: a visita a uma biblioteca pública, jornais e revistas velhos ou novos, livros de qualquer espécie, etc., são fontes inesgotáveis de informação e conhecimento. No mínimo, quem lê muito, fala e escreve muito bem! Isso, nos dias de hoje com as expressões "tamo junto", "é nóis", etc. É mais comum a gente perceber um recém formado, "dotô", escrever ou proferir verdadeiras aberrações linguísticas do que imaginamos!! Portanto, LER é o melhor caminho. Estava vendo uma campanha da Globo onde um grupo de jovens no horário do lanche, reúne-se na lanchonete e, dentro da turma com papo informal, um outro aproveita para "falar" uns dois versos de Fernando Pessoa. Imediatamente, na mesa vizinha, uma moça, também boa leitora, identifica e pergunta: "Fernando Pessoa"? E o carinha responde "é..., Fernando Pessoa. Por que, você gosta"? Pois é: daí  surge um bom papo, belas discussões e até projetos podem surgir por conta dessa afinidade. Como sou meio metido, resolvi sair a campo e também mostrar que sou bom leitor e conheço muita poesia. Ah! Moleque!! Peguei a moto, fui num barzinho chique em Várzea da Roça e, entre um gole e outro com alguns amigos, larguei: "Êita cumpade véi...Isso é cagado e cuspido paisagem de interior..."!! Silêncio sepulcral, alguns olhando pra mim e eu esperando uma pessoa que fosse identificar o autor desse verso. Nada! Bom, voltamos ao papo e depois de mais umas rodadas, levantei-me com o copo em posição de brinde, soltei: "Quando Palmeira das Anta pertencia ao compadre Bento Justino da Cruz..."! Novamente olho em volta e as mesmas expressões de cenho franzido numa censura muda mas tão penetrante quanto a lança de uma baioneta. "Maldita Globo"! Pensei. "Por que na Tv tudo acontece direitinho e aqui, ao vivo, nada"? Sou mairiense e não desisto nunca! Tomamos mais uns goles e no final da noitada resolvi fazer minha última tentativa. Mesma posição de brinde, "Tá doendo é? Tá chorando é"? Imediatamente alguém (de barba!!) se levanta e quase chorando completa: "...Todo cast... (hic) é pouco..."!!! (Ô derrota!!)  Desisti. Esse negócio de "se amostrá", como diria minha mãe D. Matilde, certamente não dá certo. Mas de uma coisa tive a certeza: quem lê enxerga muito mais longe e de olhos totalmente fechados. Portanto, vamos ler, vamos escrever, vamos pesquisar aquele autor com o qual nos identificamos. É muito prazeroso e instrutivo. Não importa se a Poesia é do Jessier Quirino (Paisagem de Interior) ou do Mestre Chico Pedrosa (Briga na Procissão), ou mesmo a sofrência do Pablo! O que importa é ler e ler. Grande abraço e  um Viva a Leitura!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário