segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Nunca perca a fé!!!

Hoje eu estou por demais feliz!! Aliás, a felicidade começou no domingo, dia 25/01. Vou voltar um pouco no tempo: algumas pessoas sabem que no dia 24 de dezembro/14, indo para Mairi, de moto, perdi uma bolsa com um tablet, um celular e uma câmera fotográfica novos, além dos respectivos carregadores, estojo de barbear e uma toalha meio velhinha. Parei no Posto Pau Ferro, proximidades de Ipirá para tomar uma água e descansar um pouco. tirei a mochila e coloquei sobre os alforjes da moto e em seguida tirei o blusão, também colocando sobre os alforjes. Tomei a água, espreguicei legal (agora não é mais falta de educação: é ALONGAMENTO!!). Depois, peguei a jaqueta vesti e montei na moto. Em Baixa Grande, 55 quilômetros depois, dei por falta da mochila! Não tinha mais como voltar. Já havia caído na estrada e, com o intenso movimento, alguém já teria achado. Lembrei de um amigo, Vaduca, que faz transporte de Mairi para Feira e liguei pedindo pra que passasse no posto e se informasse. Lá não caiu, conforme o amigo comprovou. Não blasfemei, não xinguei, não esperneei, enfim, me resignei. Comentando com algumas pessoas, lembro-me de ter dito que foi melhor eu ser punido financeiramente do que fisicamente, num envolvimento em acidente, por exemplo, já que o movimento era intenso. Claro que a gente se chateia..., agenda perdida, todos e vídeos ainda por transferir, etc. Tudo bem: vem o Ano Novo e com ele a renovação das esperanças. Em janeiro eu e Amélia saímos de férias. Viemos a Salvador e a ideia era passarmos dois fins-de-semana na Capital e voltar pra Mairi. Ocorre que eu estava aguardando uma entrega dos Correios e não poderia viajar, sob o risco do pedido ser devolvido. Ficamos mais de duas semanas, justamente por conta no atraso desse, hoje, bendito pedido. Enquanto aguardávamos o "dito cujo" dos Correios, compramos quatro bilhetes de uma rifa de um carro. Cada bilhete custava R$5,00. Pois bem: no domingo, dia 25 às 7:30 da manhã Paulo, o vendedor da rifa, me liga avisando "Você vai pra Mairi de carro..."!! Eu ainda atordoado da ressaca, questionei: "Como? Eu não comprei bilhete pra essa semana..." E ele me lembra: "Comprou sim!! Você comprou dois e sua esposa dois. Aquela rifa do Corsa..."!! Lembrei-me então dos tais bilhetes. Imediatamente liguei o computador e peguei o resultado da Loteria Federal do dia 24. Tava lá: 88260 na cabeça. Eu estava com o bilhete 8260, portanto ganhamos o carro. A leitura que fiz disso tudo foi simples: voltei o pensamento para algumas postagens nas redes sociais, onde as pessoas compartilham orações e mensagens, e uma delas me veio imediatamente à cabeça: "Quando Deus lhe tira alguma coisa Ele não o está punindo. Apenas está deixando suas mãos livres para receber algo bem mais valioso"!! É claro que Deus não "pegou" a minha mochila. Foi vacilo mesmo. Agora, certamente algum merecimento a gente teve. Senão a Natureza não conspiraria a nosso favor. Detalhe: no sábado à tardinha havia conferido os jogos de loteria e vi algumas rifas na carteira. Por não lembrar do tal Corsa, embolei tudo e joguei no lixo. Amarrei o saquinho e, como estava ameaçando chuva, guardei para jogar fora no domingo pela manhã. Depois da ligação do Paulo abri o saquinho de lixo e lá estavam, amassados, os quatro bilhetes, dentre eles meu querido 8260!! Aí foi só correr pro abraço. Me faz lembrar outro ditado: "Quando tem de perder, cai do bolso"! Pelo visto, quando se tem de ganhar acha até no lixo!! Depois mostrarei as fotos do possante. Grande abraço e muita fé!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário