quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

"Entradas e Bandeiras": Vivi essa História!!

Alguns exames deveriam ser feitos sob anestesia geral para evitar os aperreios pelos quais passamos. Urologista, Proctologista e Gineologista deveriam ser mais sensíveis, humanos mesmo! Caramba, uma coisa é você e uma garotinha brincarem de casinha, de médico, de quaquer coisa que se brinca quando se descobre a sexualidade aflorando. Outra coisa é quando a mulher vai ao Ginecologista e coloca um pé a dois metros do outro, deitada de barriga pra cima. Para nós, homens, acho por demais engasturante a visita ao Urologista ou ao Proctologista: parece que já fazem de sacanagem: "tire sua calça e sua cueca e deite-se ali, de bunda pra cima..."! E a tal ordem é dada no momento em que o sacana faz questão de calçar as luvas bem devagarinho, olhando dentro dos seus olhos, antegozando o perrengue que fará o outro cristão passar. Caramba, tive todas as oportunidades de "experimentar" certas coisas quando moleque, adolescente, mas não: passei pelas fazes da vida com galhardia, gostando apenas da "outra fruta"! Hoje "meu mundo caiu"! Estou de férias e resolvi fazer aqueles exames de rotina. Não estou sentindo nada mas é bom fazer check-up pelo menos uma vez ao ano. E fui, cheio de marra, consultar o médico. Lá chegando, vários homens à espera do "Fernão Dias" de luvas brancas, e os comentários ordinários: "Você tá vindo pela segunda vez essa semana. Gostou do Dotô, foi"? - perguntava um a outro paciente! E você percebe que todos lhe olham com um fino sorriso de canto de boca. "Orlando Dionísio..." - ouço a assistente me chamando. Entro, cumprimento o cara sem olhá-lo e ele pergunta: "Então Sr. Orlando, tudo bem"? - "Claro... Claro Doutor. Apenas rotina". - respondi. "Muito bem: vou solicitar todos os exames de sangue, urina e fezes, assim fazemos o serviço(??) completo. Certo"? - balbuciei alguma coisa que nem eu mesmo entendi e, após me passar as requisições, falou: "Pode estar tudo bem mas o câncer de próstata é uma doença silenciosa! Não podemos nos descuidar. Por isso, tire sua calça e sua cueca e deite-se ali, de barriga pra baixo"!! Feito boi que vai pro abate, resignado, olhando o chão, sentei na maca e comecei a rodar na cabeça o filme dos casos contados por alguns amigos que já passaram por esse perrengue: "...O médico era pequeno mas tinha um dedo comprido e grosso da zorra!! Na hora "H" até desceu aquela lágrima solitária do meu olho esquerdo..." - testemunhava outro. Quando dei por mim, após o estalo da luvinha sendo calçada, lá vem ele em minha direção, mostrando de forma meio sacana o dedo médio que, no meu desespero  juro ter visto ele vestido com uma camisinha, e o suor começou a cair. "Tenha calma: só vai durar 5 segundinhos e pronto"!! Obedecendo à sua ordem como um zumbi, ainda pude ver pela última vez aquele dedo ordinário fantasiado de Fernão Dias a adentrar as terras brasileiras, devastando tudo pela frente, escarafunchando os mais distantes "rincões" à procura de um mísero diamante... Diamante uma zorra: apenas à procura de um insignificante "caroçinho"! E precisava uma verdadeira Expedição pra isso? Nesse momento me lembrei da passagem da História do Brasil - Entradas e Bandeiras e percebi o quanto essa Terra deve ter sofrido. Na saída, molhado de suor e já na rua, um engraçadinho me pergunta: "E aí, foi bom"? Prá não perder a piada e não demonstrar desespero, respondi com toda altivez que consegui: "Foi bom coisa nenhuma!! Imagine que o sacana me disse para voltar só daqui a 12 mezes. Me diga: o que farei durante essa eternidade toda"? O sujeito me olhou meio surpreso e segui seu caminho. Onde já se viu!!??

Nenhum comentário:

Postar um comentário