terça-feira, 8 de outubro de 2013

O "Português" que não entende Português!

O Governo brasileiro, num passe de mágica, resolveu o problema da Saúde do povo com o programa fantástico Mais Médicos!! Vi hoje em Salvador, mais exatamente nas proximidades do Hospital Jorge Valente, um Outdoor com as fotos de dois médicos(??), dando conta de que esses profissionais foram contratados ou enviados para o município de Dais D'Ávila, região metropolitana de Salvador. Bom, já temos dois médicos nesse município, que supomos, tenha uma população esclarecida e articulada. Pelo menos imaginamos. Mas, como fazer se enviarem médicos, aliás, ESCRAVOS CUBANOS, para as regiões que realmente necessitam até mesmo de um Técnico de Enfermagem? "Mas a medicina de Cuba é referência mundial!!!", você pode até dizer, como ouvi hoje de uma colega. Quando indagada onde ela tinha visto essa informação, me respondeu que "a Diretora é que falou"!! As pessoas não têm nem a decência de formar uma opinião. Mesmo que equivocada, seria, enfim respeitada, por ser uma opinião pessoal. Não!! É mais fácil ser papagaio e reproduzir o que os outros dizem! Quando, uma pessoa que está fazendo faculdade,  vai desenvolver sua capacidade crítica? Como faremos para os pilantras do poder perderem a "teta"? Quando um beneficiário do Bolsa Família ou Bolsa Presídio se rebelar? Estive pensando numa pessoa da roça, da minha região mesmo, com seu filho num posto de saúde para ser consultado por um médico português, por exemplo. Vocês acham que tudo daria certo por que nossos idiomas são perfeitamente fáceis de entender por serem iguais. Não? Pois é: imaginem a confusão que poderia acontecer. Vamos imaginar o atendimento de uma mulher com um menino na "cacunda", como costumam fazer as mães da roça.
Diálogo hipotético..., mas que pode se realizar:
Médico português: "Pois não, de quem é o atendimento, a RAPARIGA ou o PUTO?"
Mãe: "RAPARIGA é a puta que li pariu, seu corno véio!! Inda bem num chegô e já vem defamano a gente!! E meu fio num é PUTO não!! PUTO deve ser vosmicê e seu pai, seu fio d'uma égua!! Ah! meu marido aqui pá le lascá a peixeira no bucho...!!"
Médico: "Calma, calma!! Se estás a ficar nervosa, fica lá atrás daquela BICHA para ser atendida, ô pá!!"
Nisso, quando aponta, um cidadão tipo "armário de Jatobá" acha que é com ele. Aí parte para cima do "Dotô" e o manda para o Hospital Luis Eduardo Magalhães, de Mairi. Duvidam que isso possa acontecer por conta das diferenças das Línguas? Vamos explicar porque o suposto médico apanhou inocente:
RAPARIGA, que pra nós da Bahia é "Mulher Dama", "Puta" mesmo, lá, em Portugal,  é SENHORITA!!
PUTO, que pra nós é o "macho da puta", lá é MENINO, GAROTO!! E BICHA, que pra nós da Bahia e pro resto do Brasil é "Viado", "Xibungo", "Baitola", "Pederasta" e mais recentemente "Gay", lá na "Terrinha" nada mais é do que FILA! Por isso o Dotô mandou a SENHORITA e seu GAROTO ficaram lá atrás, no fim da FILA!! Mas aí o médico já havia sido atropelado. Uma pequena ilustração do quanto o Governo brasileiro se preocupa com nossa saúde:


Mulher indígena dá a luz em jardim após ser expulsa de hospital por não falar corretamente o idioma


Mulher indígena dá a luz em jardim após ser expulsa de hospital por não falar corretamente o idioma

Com dores de parto , Irma veio para o Centro de Jalapa Diaz de Saúde , quando ainda era noite, acompanhada pelo marido. A clínica estava parcialmente parada, porém teria uma equipe de emergência. Então para os poucos que estavam trabalhando disse-lhes que estava prestes a dar à luz. A paciente relatou que estava a horas tendo contrações e estava completamente dilatada.

Os médicos fizeram -lhe algumas perguntas , mas não a atenderam argumentando que a  indígena não fala espanhol perfeitamente e que não a compreenderam. Ou que , como havia sido assistido por parteiras durante a gravidez , eles não tinham certeza do que estava acontecendo. Como era, eles decidiram que não entendia e ignorou o óbvio : a mulher precisava de ajuda.

Irma López Aurelio esperou mais de duas horas. Tentou obter o apoio de enfermeiros e pessoal administrativo , mas ninguém a internou, ou se quer deu-lhe atenção.

Assim, nas primeiras horas da quarta-feira passada , quando o sol tinha acabado de sair , foi para o jardim do centro de saúde , e lá, sem assistência , deu à luz a uma criança de 2 quilos 400 gramas, só então a socorreram .

A polêmica
Um cidadão que estava no local tirou uma foto do que aconteceu, logo após o parto . Ele a vê de cócoras mulher e criança na grama, ainda ligado pelo cordão umbilical.

Nenhum comentário:

Postar um comentário