sexta-feira, 6 de setembro de 2013

O Médico cubano e meu parente!

Não tem jeito: uma ou outra hora as comparações sempre aparecem! É inevitável. Principalmente quando o cabra mora sozinho e, numa sexta-feira à noite no banheiro, começa a divagar sobre assunto tão polêmico quanto o "Mais Médicos", do Governo Federal. Passa o xampu, enxagua, passa o sabão no capricho porque, afinal, é o banho da sexta, enfim, esse capricho todo para o fim-de-semana. E enquanto faz tudo isso, não há como não divagar sobre as últimas notícias do Brasil. Aí vem a imagem do caboclo da roça, que nem eu, que vai finalmente se consultar com um "Dotô Cubano", importado ou traficado pela Dilma. Bom, mas a questão não é essa: o grande problema que imagino será a comunicação, ou a falta dela. Chego a imaginar um "cubano" no PSF do Angico atendendo um parente meu, daqueles que, como meu pai, seu Belanísio, não tem muita paciência! Vamos ao diálogo imaginário:
Cubano: "Buenos dias, como estás passando hoje"?
Meu parente: (até sei que poderia ser): "Passano? Passano um cabrunco!! Eu vim foi deretamente inté o sinhô e num tô passano disgraça ni'uma"!!
Cubano: "Como señor? ... Não comprendo..." Tenta acalmar o paciente o "dotô cubano, com um Português mais fajuto que os produtos "made in China". "Que passa con usted"? Insiste o médico:
Meu parente: "Ô moça" - fala para a Técnica de Enfermagem - "ond'é qui tá Dotô Tadeu e Dotô Jão Neto?"
Técnica: (tentando não complicar mais a comunicação) "Senhor, nós agora seremos atendidos pelo Doutor Hernandez, que veio direto de Cuba para cá!! Não é uma maravilha?"
Meu parente: "...Mais, cum tantos médico no Brasil, precisava Cuba lançar (hic) esses estrangeiro justo aqui no Angico? Os home fala umas língua que ninguém entende!!"
Técnica: "Se acalme! Vamos falar devagar que ele vai entender o seu problema. Certo?
Meu parente: "...Sei não..."
Cubano  (já de testa suada): Señor, que passa...?
Meu parente: "Travêiz dotô? Num passa mizéra de nada, tô é cum o istambo imbruiado, o sinhô m'intende"?
Cubano: "Como? Que passa? Mocinha, que ele hablou"?
Técnica: "...Olhe doutor, acho melhor o senhor receitar um antiácido..."
Cubano: " Non comprendo..."
Técnica: "Dotô, ele comeu demais e tá precisando CAGAR!! Entendeu?"
Cubano: "...Como "cagar"?  Isto ser o quê mesmo?
Técnica: (batendo na barriga e fazendo a imitação de quem senta no vaso sanitário) "Como seu General fez com o senhor! Botar prá fora!! "Entendeu?"
Cubano: "Ah! Siii!! Comprendo!! Este senõr precisa de uma... como chama...? Uma CADEIRA!! Señor, usted puede "cagar" a  su  vontad...!!!! Pero, me diga: que passa con usted?"
Meu parente: "Ah! Istopô do sarraio...!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário