sábado, 7 de setembro de 2013

Até quando?

Recebi agora de manhã a triste notícia do falecimento de um grande amigo meu. Também era da família, visto que fora casado com minha prima. O motivo da morte? A-TRO-PE-LO! Mas, atropelo em Mairi? Pois é: atropelo de moto!! Está cada vez mais fácil de se conseguir comprar uma moto e também cada vez mais fácil receber de "presente" de alguns pais irresponsáveis motos de até 150cc, quando se tem 13 a 15 anos. Não raro vejo passar em frente à minha casa, nos finais de semana, duas garotas numa Biz, em alta velocidade, conversando entre si, sem nenhuma concentração. Não pode terminar bem. Não acho que garotos não possam, em cidades pequenas como Mairi, andar de moto! Podem perfeitamente andar. O problema são os malabarismos e as irresponsabilidades cometidas por essa galerinha, numa atitude de desafio mesmo. Eu passei por isso! Quando tinha moto aos 16 anos, volta e meia tirava o miolo do escapamento para fazer barulho. A intenção era "me amostrá", como falava minha mãe. Felizmente ninguém me dava ousadia e, frustrado por não conseguir sacanear ninguém, pelo menos na teoria, voltava e recolocava o "silencioso" no lugar. Mas ali eram outros tempos. Lembro-me de existirem três motos na cidade: uma 100cc minha, outra 100cc de Ovídio da Serraria e uma "cinquentinha" de Dr. Lai. Só!! Tinham as "Vespas" de Mestre Raé, pai do saudoso Raé, que não se podia contar porque era raro ele dar uma saidinha com sua "magrela". Hoje? Ah!! Hoje cada pessoas de uma casa tem uma moto! Quero deixar claro que não estou tentando incriminar ninguém nem julgar. Só acho que os pais deveriam ser mais rigorosos com a fiscalização das atividades dos seus filhos. No meu tempo, minha mãe agradecia se alguém me pegasse pela orelha e me levasse até ela, fazendo o relato da travessura que eu estava fazendo na rua! Hoje, se você se queixar aos pais de um garoto ou garota, prepare-se para ser destratado não só pelos pais mas também pelo "infrator". Inversão de valores, certamente. Existe moto demais e responsabilidade de menos. Um grande amigo meu se queixou comigo de que não entendia porquê de tanta exigência: "Hoje um pobre não pode nem ter uma moto!! Pedem emplacamento, carteira de habilitação..."! Acho que vocês entenderam a situação: tem-se a grana para comprar a moto mas não se preocupam com a habilitação, por exemplo! No caso desse atropelo que vitimou meu amigo, se a senhorita não tiver habilitação é mais um agravante. Se ela for habilitada já é uma atenuante. Não que o atropelo não acontecesse  se ela fosse habilitada, por exemplo. Pode-se ter habilitação e ser irresponsável como o contrário pode acontecer. Só que o responsável sem habilitação só pesa contra si os agravantes! Paciência!! É o que está na Lei. Quero deixar um conselho para todos os pais: Não deixem que seus filhos os dominem nem cedam às suas chantagens. Acho que agindo assim, conversando muito e mostrando exemplos, a relação entre vocês pode ser muito legal. Quanto a dar uma moto de presente ou não ao seu filho, pense e decida o que achar mais prudente. Abraços para minha querida prima e família.

Nenhum comentário:

Postar um comentário