domingo, 14 de julho de 2013

PT 2x1 PT.

"O médico pode ser da China ou da Lua. Se não tiver 
seringa, se não tiver raio X, ele não vai conseguir atender 
os pacientes"

Roberto Kalil Filho, cardiologista de Dilma Rousseff e Lula, desaprovando a determinação de sua paciente. (Extraído da revista Isto É).


Há uma grande celeuma com relação à importação de médicos (?) cubanos: vários segmentos da sociedade, principalmente a comunidade médica, estão fazendo muito barulho, questionando, inclusive, a quantidade de médicos a serem importados da Ilha de Fidel. Há inclusive a suspeita de que o PT estaria enviando esses médicos para os mais distantes rincões do País, com interesses suspeitos. (vide post anterior). Não sei até onde procede a informação. Mas uma coisa é certa: se olharmos a conta que o jornalista fez (post anterior), chegamos à conclusão de que não existem disponíveis 6.000 médicos para admissão imediata no Brasil! Isso é preocupante... Considerando a possibilidade, mesmo que remota, de Cuba nos fornecer 6.000 Médicos, maiúsculo mesmo, quais serão as condições de trabalho que eles encontrarão? Será que terão seringas, fios de sutura, esparadrapo, gaze, mercúrio cromo, etc., etc., para atender minimamente os usuários do serviço do SUS? Principalmente no interior do Brasil, já que até na maior capital do País a situação não é a mais confortável. Aí o PT errou ou vai errar. Porém, acertou na mosca, a meu ver, quando o Governo passará a exigir o Revalida também para os nossos próximos doutores. Se a OAB  faz sua prova de admissão, por que não na medicina, profissão que exige muito mais técnica e precisão do que Direito? Como são corporativistas, os conselhos de medicina já começaram a chiar. É um risco para a população se a medida do Governo for derrubada judicialmente, porque sabemos que a maioria dos açougueiros é mais hábil com uma faca na mão do que a maioria dos médicos formados hoje, com um bisturi empunhado! Outro golaço do Governo foi a extensão de 2 anos do curso de medicina, com a obrigatoriedade do formando trabalhar no SUS, com a supervisão de uma universidade e com uma bolsa (remuneração)! Corretíssimo!! O "Mauricinho" tem o pré-vestibular pago e apenas estudará, confortavelmente. E o pobre? Mora longe, não pode pagar cursinho, tem de trabalhar e, quando é aprovado o vestibular, sua vaga foi tomada por um sujeito de classe média alta ou rica, que teve melhor pontuação na prova. Isso é injusto porque a escola pública, na teoria, foi criada para as pessoas carentes. Essa será a contrapartida que há muito tempo deveria ser exigida para que os alunos com boas condições financeiras pudessem estudar nas universidades públicas. De parabéns o Governo Federal!! (Nunca pensei que fosse dizer isso um dia, desse Governo!! Pelo menos não errou em tudo!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário