sábado, 8 de junho de 2013

O "ilegal" do legal!

Já falei em outras ocasiões que esse País está uma verdadeira panela de pressão prestes a explodir! A população brasileira não vai aguentar muito tempo essa escalada de desmandos empresariais e governamentais. Sabemos que os dois (governo e empresas) estão intrinsecamente ligados por fazerem parte de um conluio ordinário com troca de altos favores. Tudo bem. Mas esse não é o foco da conversa. O Brasil inteiro está acompanhando a luta dos estudantes de São Paulo pela não majoração dos preços das passagens do transporte coletivo. Aliás, São Paulo sempre esteve na vanguarda das reivindicações nesse País. Normalmente é lá onde tudo começa. Já está mais do que na hora dos outros Estados se espelharem na querida Sampa. Protestos justos! A não ser por um "senão" que incomoda, por saber que as atitudes lastimáveis partiram justamente das cabeças que estão sendo preparadas para governar esse País um dia, os estudantes!! Não posso concordar que o funcionário de uma empresa deprede suas instalações só porque o seu patrão não quer lhe dar um aumento. Quer quebrar algo? Quebre então o Patrão. Se os estudantes queriam dar porrada em alguém que procurassem o prefeito e seus secretários, os empresários de ônibus, etc e partissem prá briga! Claro que esse não seria o melhor caminho, como não foi o melhor caminho e muito menos inteligente, depredar bancas de revistas na avenida, já que delas dependem várias famílias para sobreviverem com um pouco de dignidade! O que o Shopping tem a ver com o aumento das passagens? Por que tiveram suas portas de vidro quebradas, suas paredes pichadas, seus clientes coagidos...? Não! Isso não é reivindicação: é molequeira mesmo. Aliás, parece que a moda pegou. Lembram da greve da PM na Bahia? Pois é: sob o comando de um delinquente, os seus companheiros de corporação (felizmente nem todos) agiram da mesma forma ou pior que os marginais que deveriam ser por eles (pm's) combatidos. Lembram? Tá errado! Se quisermos reivindicar, vamos lá. Agora, se quisermos "esculhambar" simplesmente, aí nossos governantes terão motivos de sobra para comemorar. Afinal, somos pensantes ou burros? (que me perdoem os da raça muar).

Adicionar legenda
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário