Estados Unidos -  Apenas dois dos 25 soldados que acabaram com a vida do terrorista Bin Laden, considerado o maior inimigo dos Estados Unidos, permanecem vivos, de acordo com informações do jornal italiano Corriere della Sera. O último membro das forças especiais do Exército dos Estados Unidos, o Navy Seal, que morreu até então foi Brett D. Shadle, em um treinamento de manobras de paraquedismo, no qual outro militar também ficou ferido, informou a rede americana "NBC".
Foto: 05_BinLaden_280x330.jpg
Foto: 05_BinLaden_280x330.jpg
O militar, do qual ainda não foi divulgada a identidade, fazia parte da famosa Equipe número 6, encarregada da missão que matou Osama bin Laden em maio de 2011. Por enquanto, não se conhecem os detalhes do acidente em que um dos saltadores morreu e outro ficou ferido, embora se encontre em estado estável. Os membros da equipe de elite 6 dos Navy Seal têm que passar por este tipo de treinamentos para se preparar para operações de infiltração e libertação de reféns.
A "maldição de Bin Laden", como o jornal italiano denominou, teria começado três meses depois da operação "Gerônimo" (codinome de Osama bin Laden para os americanos) que levou à morte do terrorista. Em agosto de 2011, um acidente de um helicóptero da OTAN durante uma operação no Afeganistão matou 38 militares, sendo que 22 faziam parte do grupo que invadiu a casa de Bin Laden em Abbottabad, no Norte do Paquistão. Com mais um militar morto, a morte de Bin Laden continua com muitas suposições.