sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A lambança administrativa

Ninguém pode ficar satisfeito com os últimos acontecimentos em Mairi: obra que não cumpre sua finalidade (contenção de enchentes), famílias iludidas com a possibilidade de terem sua casa própria, estoque de peças de máquinas e caminhões furtado da Garagem Municipal, sumiço de computadores, "limpeza" dos estoques de remédios dos postos de saúde, etc. É muita irresponsabilidade! Tivemos essa semana três situações desagradabilíssimas envolvendo atos da administração passada - cessão de lotes de terras irregular feita após o pleito de 07 de outubro em duas áreas urbanas, obra do Canal do Cairu (Missionário) inacabada e prejudicando ainda mais os moradores da área por onde passa o canal, enfim, um final de gestão que causou indignação a todos os mairienses. Não precisaria ter terminado assim! Pessoas outrora reconhecidamente sérias não podiam, de forma alguma, permitir o estado de vandalismo que se instalou na Prefeitura e nos seus órgãos até o dia 31 de dezembro de 2012! Não entendi ainda porque tanta seriedade propalada aos quatro ventos permitiu os desmandos dos últimos meses. Ausência total? É o que imagino. Quem tem um nome a zelar não pode delegar poderes absolutos a outrem! Eu mesmo em conversa com o ex prefeito o adverti das decisões de alguns "assessores" seus que, em seu nome e sem ele saber, estavam tomando decisões importantíssimas! Lembrei-lhe de que bons assessores ajudam muito uma administração, ao passo que maus colaboradores podem levar essa bem intencionada administração ao fracasso. E fui profético, infelizmente. A história recente está repleta de fatos onde alguém entregou a direção de fábricas, lojas, fazendas, etc., a outras pessoas e essas promoveram o caos. Os piores inimigos são aqueles que estão, muitas vezes, colados em nós, sob a desculpa de nos ajudarem "no que for preciso" e se mostram o tempo todo muito solícitos! Aí é onde pode morar o perigo! Ao contrário do que podem pensar alguns leitores, não fico nem um pouco feliz com essas constatações. Minha cidade precisa da seriedade de todos os homens que tenham boas intenções, dedicação e seriedade na sua administração, independentemente de qualquer partido político ou coligação. Não precisamos de quem atire pedras no nosso telhado, mas de quem efetivamente o conserte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário