quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Safadeza ou descaso do Estado?

Virou moda: todo mundo agora quer leiloar a virgindade!! Também, nos dias de hoje isso é "produto" raro e valorizado, como confirmou o japonês que pagou à australiana mais ou menos um milhão e meio de reais por um minúsculo pedaço de membrana! Tudo bem. Agora foi a vez da garota de Sapeaçu. Eu só acho uma coisa: por que os imbecis a julgam e a agridem com palavras ofensivas como "prostituta" e "cachorra"? Sabem ou sabiam dos motivos que levariam essa desesperada jovem a se expor dessa maneira? Se sabiam é pior: são miseráveis e desumanos porque não a ajudaram. Se não sabiam, procurassem entender. É claro que esse é um expediente que ninguém aprova, mas isso quando as circunstâncias estão favoráveis àquela pessoa. No caso da moça de Sapeaçu, o intuito era arrecadar dinheiro para tratar a sua mãe. A única forma que ela encontrou foi essa. Certamente que ela e sua mãe pagam os altíssimos impostos mas a contrapartida dos governos municipal e estadual não aconteceu e nem vai acontecer, deixando num beco sem saída. Vi essa notícia no Balanço Geral da Record São Paulo e o babaca do apresentador disse que "se fosse minha filha, apanharia!!" Claro, aí seria apenas e simplesmente safadeza, já que ele pode custear um tratamento para seus familiares! Ainda sugeriu que a moça procurasse o demagogo do Varella para pleitear ajuda!! Como esses programas de quinta categoria distribuem esmolas entre seus assíduos espectadores miseráveis, dar-se-iam mil "Glórias" à Igreja Universal!! Cadê a assistência à Saúde que é obrigação do Estado? Por que roubam bilhões de reais e não permitem que uma senhora tenha seu tratamento facilitado precisando que sua filha coloque uma máscara de ferro no rosto para se expor de tal forma? Cadê o dinheiro dos mensaleiros, sanguessugas e cachoeiras? Essa moça certamente ficará marcada pro resto da vida. Resta saber se seus pais entenderão a grandeza do seu gesto e a perdoarão. Quanto aos seus vizinhos, que Deus tome conta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário