quarta-feira, 7 de novembro de 2012

A baboseira oficial

Meus amigos, numa semana em que as pessoas estão aflitas ou até desesperadas tentando resolver um problema que todos consideram um problemão e os tecnólogos de plantão da SESAB  limitam-se a emitir uma Nota Técnica, dando explicações "claríssimas" para os pobres mortais de Mairi que sofrem com a dúvida de "ser ou não ser" Meningite, "eis a questão!!" Quantos seres que não entendam de infectologia entenderão essa verdadeira "baboseira" para justificar o quê mesmo? Não entendi: a vacina, na atualidade, só é disponibilizada para crianças menores de 2 anos. Há algum tempo atrás essa mesma vacina fora disponibilizada para crianças menores de 1 ano, gestantes e profissionais de saúde. Pois bem: se o SUS não disponibiliza essa vacina para as outras faixas etárias e, por estarmos com um problemão no nosso município por conta da nossa ignorância do assunto (não somos infectologistas), uma clínica de vacinas se prontifica a fazer a imunização em Mairi, deslocando equipe e equipamentos necessários para tal procedimento e, segundo alguns blogs, por conta de uma denúncia anônima, expediente característico dos covardes, a omissa 16ª Dires embarga a imunização de aproximadamente 400 pessoas que deixariam de custear transporte para Feira de Santana mais preço unitário de R$120,00 a dose, o que em Mairi custaria apenas R$90,00? E tudo que essa população desesperada e por demais amedrontada recebe é a penas uma "Nota Técnica"? Merecemos mais que isso!! A tal "nota" foi extraída do blog mairiense Agmar Rios Notícias. Vejam a íntegra:


Nota Técnica
No Estado da Bahia foram confirmados 922 casos de Meningites, até a semana epidemiológica 42 (20/10/2012) do ano de 2012, correspondente a um coeficiente de incidência de 6,5/100 mil habitantes e 61 óbitos com letalidade de 6,6%.
Comparando-se com o mesmo período do ano anterior, verificou-se que houve redução no coeficiente de incidência das Meningites de todas as etiologias (2011 – 7,6/ 100 mil hab. e 2012 – 6,5/ 100 mil hab.). Quanto à letalidade, também observou-se uma redução com relação ao mesmo período do ano anterior (2011 – 10,8% e 2012 – 6,6%), o que pode ser atribuído à melhoria da assistência e ao trabalho que vem sendo realizado pela vigilância epidemiológica, juntamente com o Lacen, de sensibilização dos gestores, diretores e trabalhadores de unidades de saúde para atendimento, diagnóstico e tratamento precoce dos casos de meningites.

Em 2012, no município de Mairi ocorreram 03 casos de Doença Meningocócica, correspondendo a uma incidência de 15,5/ 100 mil hab. e 02 óbitos com letalidade de 67%. Destes, um caso teve diagnóstico de meningite meningocócica com meningococcemia, tendo como critério de confirmação a cultura. Os outros dois casos foram diagnosticados como meningococcemia pelo critério clínico, evoluindo para óbito.
Diante do exposto ratificamos as condutas existentes no protocolo das meningites meningocócicas.
1. A Quimioprofilaxia, uso da medicação de forma preventiva, tem sido a principal medida de controle utilizada para o controle da Doença Meningocócica para evitar casos secundários e vem sendo realizada em todos os contatos dos casos ocorridos, conforme orientação do Ministério da Saúde.

2. Existem vacinas específicas contra a Doença Meningocócica, dentre elas a Vacina Meningocócica C – conjugada, que previne a Doença Meningocócica do sorogrupo C. Até o momento não existe vacina eficaz contra o sorogrupo B.

3. Até agosto de 2012, o Ministério da Saúde elegia crianças menores de 1 ano para vacinação. A partir deste período, a vacinação foi estendida para crianças menores de 2 anos como grupo prioritário a ser vacinado com a vacina Meningite Meningocócica C - conjugada e Pneumocócica 10 valente.
4. O Estado da Bahia, assim como todos os demais estados do país, oferece vacinas para prevenção de meningite tuberculosa (vacina BCG), meningite por Haemophilus influenzae tipo b (vacina DTP+Hib+HB), meningite por pneumococo (vacina Pneumocócica 10 valente) e doença meningocócica sorogrupo C (vacina Meningocócica C conjugada), em todas as 2.780 salas de vacina distribuídas nos 417 municípios, como também nos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais – CRIE, na indicação exclusiva para: asplenia anatômica ou funcional e doenças relacionadas; imunodeficiências congênitas da imunidade humoral, particularmente do complemento e de lectina fixadora de manose; implante de cóclea; doenças de depósito e pessoas menores de 13 anos com HIV / AIDS.
As medidas profiláticas de responsabilidade do estado estão sendo desenvolvidas em acordo com os critérios de prevenção e controle definidos pelos protocolos publicados pelo Ministério da Saúde/Brasil e em acordo com os princípios do SUS de integralidade e universalidade.
Quaisquer esclarecimentos ainda necessários a Coordenação e Equipe técnica estão à disposição.

Salvador, 06 de novembro de 2012

Bruna Drummond                 Maria de Fátima Sá Guirra
GT Meningites                     Coordenadora CEI/COVEDI

Nenhum comentário:

Postar um comentário