quinta-feira, 18 de outubro de 2012

A Bela Música Que Ninguém Ouve!!

É engraçado como Mairi trata seus filhos ilustres: aliás, não tem graça nenhuma! É triste vermos uma cidade com uma rádio que não cumpre nem de longe com a finalidade da sua concessão. Divulga umas coisas que não interessam a ninguém, outras que não são de interesse da comunidade, razão pela qual a rádio foi implantada, mas divulga maciçamente "notícias" de interesse de uns poucos. Na área cultural é um fiasco enorme: limitou-se a transmitir um arremedo de Festival da Canção elaborado pelo Departamento de Cultura que decepcionou a todos que se fizeram presente ao evento. Meu amigo e violeiro Júnior Pirigoso, de Capim Grosso, a meu convite prestigiou o tal festival e falou tudo que tinha direito. E com razão: brincaram com a inteligência das pessoas. "Frans Pop faria um Programa de Calouros muito mais interessante!". Isso era o que se ouvia no final do Festival. Outro grande músico e luthier de Jacobina, Alcícero, entusiasmou-se para se inscrever mas não deixei que ele viesse. Graças a Deus ele atendeu meu pedido. Como conheço a incrível capacidade crítica do Al, a coisa não ia prestar, como se diz por aí. Voltando à nossa "rádia", tem um dia na semana que um determinado horário é dedicado "aos artistas da terra!?" Sinceramente não sei o que a diretoria da emissora considera  como "artista da terra!!" Siro Leal, irmão do nosso querido Baiano da Ambulância, levou um disco seu até a emissora com a intenção de divulgá-lo. Como ele é um dos abestalhados como eu e outros que amamos Mairi, é claro que o Siro queria mostrar EM PRIMEIRA MÃO o seu tão sonhado disco para seus conterrâneos! Foi até a Mairi FM, deixou o disco e até hoje, quase dois anos depois, nunca ouvi uma música sequer, nem no dia dedicado "aos artistas da terra!" Já deu para notar que cultura não é o forte dos diretores da rádio nem do famigerado Departamento de Cultura. Eu até entendo se por ventura o D C não fizer muita coisa: problemas de autonomia, certamente. Mas a rádio não!! O disco está ali, bem produzido e elaborado, com um repertório que vai de Portugal à Guiné Bissau, Angola e com nossa chula e samba-de-roda muito bem elaborados, num capricho que vai desde os arranjos até as composições do Siro Leal. Na Mairi FM se você não tocar um teclado ridículo com um timbre idem, um repertório idem idem e se não for um "arrocha" idem idem idem, não terá vez. Sem falar que o disco é absolutamente original, ao contrário do que normalmente toca na emissora que, ao invés de combater o crime da pirataria, fomenta-o. Um dia, que felizmente está próximo, as coisas vão ser como devem e os merecedores de créditos certamente os terão. Ao contrário desses mercadores de ilusões que aleijam a Cultura na nossa cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário