domingo, 30 de setembro de 2012

"Rasga-Mortalha"

Não sabia que pilotar a "Nave 12" era tão emocionante! Primeiro você vê tipos de todos os tipos, figuras que são verdadeiras figuras e, o mais engraçado, todos, mas absolutamente todos, com topete para te dar ordens! Ontem, ao estacionar a "nave" na Rodoviária, com o pneu voltado para o meio-fio por medida de segurança, até porque a "nave" não é tão nova quanto o "aerolulla", um cidadão manguaçado chegou a me tirar do sério, insistindo e pegando forte no volante dizendo que "o pneu tá torto, meu! Tem de consertar!!" E isso durou um tempão até que fechei o vidro. Não adiantou: ele agarrou inúmeras vezes o pneu na tentativa de "acertar o jogo" do carro. Foi lindo!! A melhor parte foi ouvir uma música parodiada que sacaneia o "lado de lá" (êpa, tô falando como fazedor de política!!), criticando o tal Aviãozinho. No começo, o cantor referindo-se a um clássico episódio do Superman, pergunta: "É um arubu, é uma"rasga-mortalha?" Não!! É o aviãozinho que "rem" caindo, "rem" caindo... Caiu!!!" E como em Hollyood, ouve-se o barulho de uma espetacular explosão. Além da criatividade e não poso negar também a qualidade das paródias "do lado de lá", as músicas têm o poder de nos transportar no tempo. Vou agora lhes dar uma "aula" de Biologia, falando especificamente de uma ave ou pássaro ou "coisa", que conhecemos aqui nos confins de Mairi como "Rasga-mortalha". Eu disse ave ou pássaro ou "coisa", porque é um "trem" de hábitos noturnos e nas raras vezes que "rasga" a noite com seu canto(??) característico, passa velozmente por sobre o telhado, dificultando e muito a sua visualização. Como é raro ouvi-la e dificílimo vê-la, deve vir daí todo o clima de mistério e terror que a envolve. Segundo "os mais velhos", quando uma "rasga-mortalha" canta sobre seu telhado, é prenúncio de morte na família. E me lembro quando morava na Fazenda Licurisal, com 5 a 6 anos de idade, minha mãe e meu pai, calejados e acostumados com todos os sons noturnos da roça, arrepiavam-se ao ouvir o canto dessa coisa. E ficavam com cara séria mesmo! E eu, corajoso como sempre fui, em tenra idade, como acham que ficava quando apagavam o candeeiro para irmos dormir? Pelo menos pra alguma coisa a política de Mairi está servindo: faz-nos exercitar a mente para manter o "alemão" o mais longe possível.
Nota: O nome da "coisa" é porque o som do "canto" ou "lamento", é exatamente igual ao som produzido pelo vendedor de tecido que dá um pequeno corte com a tesoura e literalmente rasga o restante. Os sons são absolutamente iguais. É impressionante! (Isso deve ser coisa do "cruz-credo!!")

Nenhum comentário:

Postar um comentário