sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O Mensalão e suas derrapadas.

Assistindo às apresentações de defesa dos réus pelos "adevogados" dos mesmos, fico pensando se os caras acham que os togados do Supremo são bobos ou inocentes. Numa defesa atabalhoada um certo Dotô disse que seu cliente recebera tantos milhões para repassar para os líderes dos partidos da base aliada e que o mesmo - seu cliente - não sabia de onde vinha a grana. Logo, não poderia ser condenado. Apenas fazia a distribuição. Foi isso mais ou menos isso que o advogado falou. Aí, eu que sou "inguinorante", pergunto: se todos negam veementemente a existência do Mensalão, por que o doutor disse que seu cliente recebia a grana para repassar aos líderes dos partidos da tal base aliada? Então, se não existiu a distribuição de cotas em dinheiro vivo para comprar voto, por que existiu a entrega de alguns milhões  ao cliente do advogado que estava na tribuna a defendê-lo, para ratear entre os líderes? Eu posso ser míope e não enxergar nas entrelinhas; mas certamente isso foi, no mínimo, um escorregão gigante, conduzindo o tal cliente à degola na guilhotina. Se até eu entendi assim, imaginem os Ministros do Supremo, acostumados a lidar com todo tipo de argumentação, além de serem profundos conhecedores das leis. Não fosse por isso não estariam ocupando cadeiras na mais alta Corte do País. E que certamente cada membro do STF honrará sua toga e a sua Pátria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário