quarta-feira, 16 de maio de 2012

O Judas Baiano.

Fui ontem à agência dos Correios da Assembléia Legislativa postar uns documentos e, logo na entrada do estacionamento uma aglomeração com faixas e cartazes cobrando 22,22% de "reajuste JÁ" ao governador Jacques Wagner. Aí lembrei: são os professores estaduais! Num dos postes de iluminação vi uma figura horrenda em forma de Judas, enforcada!! E nunca, em tempo algum, o funcionário público estadual foi proibido de gozar licença-prêmio. Só agora! Justamente por essa cambada que apelidava ACM de Toninho Malvadeza e outros adjetivos mais. Não é engraçado? Quem sabia, num passado recente, de onde tirar as verbas para os reajustes dos "salários congelados", hoje, além de perseguir acintosamente os funcionários o tal Partido dos Trabalhadores (lá eles!!) usurpa o direito líquido e certo do servidor gozar sua merecida licença-prêmio!! Isso certamente que é anticonstitucional mas, no Brasil do PT nada é proibido: inclusive retirar ou diminuir os valores dos royalties do  petróleo repassados aos municípios produtores porque a "cumpanheirada" doou de mão beijada tudo ao Eike Batista!! Não há como negar: o "home" é um traíra dos grandes. Se fizermos uma continha simples veremos que a diferença do Wagner para o Paulo Souto corresponde ao número de funcionários públicos mais um ou dois familiares: mais ou menos 750.000 (setecentos e cinquenta mil) votos de diferença pró Wagner. E o esquisito é que José Carlos Aleluia havia prevenido Souto com relação aos funcionários públicos que estavam há um ano e meio recebendo um salário base menor que um salário mínimo. Sob a alegação de que "funcionário público não dá eleição a ninguém" o então governador tomou pau naquela eleição ainda no primeiro turno. Agora, Wagner quer experimentar o gosto amargo que um dia passou pelos lábios de Paulo Souto. Será bem feito!!..

Nenhum comentário:

Postar um comentário