sexta-feira, 27 de abril de 2012

"Pense num Absurdo..."

É triste a constatação de que políticos descarados, eleitos por um povo idem, não estão nem aí para o seu "Admirável Gado Novo!" O Hospital Deputado Luis Eduardo Magalhães de Mairi (BA), está se superando em desserviços prestados à população. Uma paciente grávida e muito próximo de completar os nove meses de gestação, ao fazer mais um pré natal, foi aconselhada pela enfermeira do PSF a procurar o HDLEM para que o médico avaliasse a possibilidade ou não de fazer uma cesariana. De posse do relatório a parturiente foi informada pelo tal médico que não existia Anestesista no hospital e que ela "procurasse a enfermeira do posto para transferi-la" (?!) Uai, desde quando Enfermeiro tem a competência de determinar quem ou não deve ser transferido? O hospital de Mairi, que atende a municípios da vizinhança e inclusive alguns distantes como Tapiramutá, por exemplo, não tem ambulâncias. Aliás, tem: 02. Uma está há mais de um ano fora do município para reparos. A outra, segundo um funcionário do HDLEM, necessita apenas da substituição de amortecedores para funcionar normalmente. DOIS AMORTECEDORES!! Para um hospital daquele porte chega a ser vergonhosa a desculpa para a falta das ambulâncias. A parturiente foi transferida numa ambulância da prefeitura só depois da intervenção enérgica da Secretária de Saúde do Município. A cesariana foi feita no Hospital da Mulher e mãe e filho passam bem. Ainda bem! O problema é que o hospital parece fazer "corpo mole" para atender pacientes considerados "do município", numa clara evidência de retaliação política, já que a referida Casa de Saúde ou melhor, Curral Eleitoral, "pertence" ao Sr. Daniel Almeida. Isso se torna mais evidente quando uma parenta do deputado sai pedindo currículo às pessoas, oferecendo emprego na instituição de saúde. A paciente em questão teve seu problema resolvido e com final feliz. Mas, e se acontece o pior? Em Várzea da Roça familiares de uma dona de casa ameaçaram invadir o hospital local para tirar satisfações com um médico que, segundo moradores daquela localidade, barbeirou feio na prescrição de um medicamento injetável o que ocasionou a morte da paciente dez minutos depois, pulou o muro da instituição e fugiu! Por que será que o Doutor fugiu tão covardemente? Lembrando aquela máxima de um ex Governador, "pense num absurdo, acontece na Bahia!!" Nesse caso específico, acontece em Mairi e outros municípios. Aliás, se pensarmos bem chegaremos à conclusão de que os absurdos são cometidos por nós mesmos. Fiquemos alertas porque em outubro desse ano e em 2014 não poderemos cometer mais "absurdos". Se liga!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário