sexta-feira, 30 de março de 2012

A Estrela que Brilha!

Existem inúmeras constelações no nosso Universo. Há quem acredite que até os participantes da idiotice global, finalmente encerrada ontem, também podem ser consideradas estrelas. Pois bem: alguém se recorda de um bom exemplo deixado por algum dos participantes nessas doze edições? Nada além de apologia ao sexo e ao consumo exagerado de bebidas. E foi assim com uma participante desse último BBB: "... De bêbado não tem dono" mesmo!! Mas, voltando às estrelas que na verdade o são, o "andar de cima", como diz o Falabella, está mais radioso, brilhante! Certamente que a chegada de uma nova e radiosa estrela deve ter "botado fogo" na rapaziada celestial! Não é todo dia que os "Cicerones" do mundo espiritual recebem visita tão ilustre! E se o Paraíso estava meio insosso, coisa que duvido, com a chegada dessa estrela a coisa deve ter fervido: agita um daqui, goza com outro Arcanjo ali, faz menção de dirigir o "avião Celestial"..., enfim, uma festa. Festa essa que os seus amigos aqui de Mairi deveriam estar fazendo até hoje! É claro que a estrela à qual me refiro é o querido José Fernandes Lima de Oliveira!!!... Quem é esse senhor mesmo? "José Fernandes de quê?" " Fernando de Deraldo..." "Fernando de Deraldo?" "Homem, é Fernando POVÃO!! "Ah! Bom!! Agora tá explicado! Conheço. E quem não conhece?" E é assim que nosso querido amigo deve ser lembrado: FERNANDO POVÃO! Não por ter sido político; e por ter sido político percebeu, na sua imensa sabedoria, que era melhor ser de todo o povo do que de uma parte. E foi com o carinho dedicado aos amigos e desconhecidos que Povão fez história nessa cidade e por onde andou! E foi bom porque se continuasse na política não teria sido a unanimidade que é hoje. Eu particularmente acho que o ouro de Jacobina perdeu um pouco do seu brilho com a ausência de Fernando na cidade!! Quantos filhos podem dizer, orgulhosos e com os olhos merejados, "meu pai é igual a Fernando Povão?" Quantas esposas podem dizer dos seus esposos o que D. Mariá, orgulhosamente, pode dizer de Povão? Quantas pessoas, além dos mairienses, podem dizer orgulhosamente "sou amigo de Povão?" É meus caros, esse moço ainda cumpriu outro papel importante na sua vida: quem com ele conviveu certamente amealhou conhecimentos de como ser gente de verdade! Hoje, junto com uma Constelação de peso, dentre eles Mané Garrincha, Povão deve assistir às partidas do seu querido Fogão na maior agonia. Isso porque Lá não se pode fumar!(ha ha) Já pensaram a zoeira que deve ser Povão e Garrincha torcendo numa tarde de domingo? Por certo a Estrela Solitária (Botafogo) brilhará mais forte, como também brilhará os olhos dos anjos e arcanjos querendo puxar as orelhas dos dois!! Boa viagem, meu amigo. No meu tempo, ficarei orgulhoso em ser "recepcionado" por você e meus queridos pais! Luz prá você.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Matéria do Jornal Hoje

Nós estamos acostumados a assistir a um dos melhores programas jornalísticos da Globo, todas as tardes: Jornal Hoje!! A simpatia do Evaristo Costa e da Sandra Annenberg são ímpar, ganhando, ao meu ver, para o JN.  Tudo bem: o Brasil continua filho da puta!! Na edição de hoje o Evaristo dá conta de que as mãos da estátua de Iracema, personagem de José de Alencar, em Fortaleza, amanheceu SEM AS MÃOS!! Me respondam se souberem: prá que servem as mãos de uma estátua, sabendo-se que é sua menor parte? Por que não levar a estátua inteira e vender no ferrro-velho? Duvido! Isso, na minha modesta opinião, reflete um País onde o Senado e a Câmara dos Deputados deitam e rolam com os recursos que seriam destinados à educação do povo brasileiro mas, por "forças das circuntâncias" esses recursos não chegam aonde deveriam! Me lembro do tempo que trabalhava no Banco do Brasil em Mairi: o cidadão apresentava uma proposta, dependendo da finalidade e do valor, o fiscal do banco ou o avaliador faria a vistoria inicial ao imóvel e, aí sim, a primeira parcela do financiamento seria liberada!! Hoje? "Liga pro deputado "fulano de tal" e a verba tá na mão ou o emprego pleiteado está garantido!!" Somos brasileiros  e por isso mesmo, SEM VERGONHA!! O Ricardo Teixeira deixou a CBF: quais serão as cobranças em torno dele? Lembra do Telecurso, quando fala da revisão da matéria apresentada?? Pois é: "vamos pensar um pouco?"

quinta-feira, 22 de março de 2012

A Malandragem Oficial

Atenção senhores e senhoras decentes, ainda que em número reduzido, cuidado com o que está acontecendo em Itaitu, distrito próximo de Jacobina! Lugar de rara beleza mas está sendo terrivelmente violentado pelos poderosos de Jacobina e seus asseclas. Será que os órgãos de defesa do meio ambiente fecharão os olhos para o absurdo que lá está a acontecer? Busquem por notícias sobre Itaitu, inclusive nas redes sociais como facebook, por exemplo, e vocês encontrarão alguns dos muitos absurdos criminosos. Vamos ficar atentos.

terça-feira, 20 de março de 2012

Coisa de cretino!!

Estava no Ministério Público do Estado da Bahia e notei nos passeios uma espécia de pista em alto relevo, onde os deficientes visuais se situam e andam com segurança. Uma ótima atitude dos órgão públicos que disponibilizaram essa "ferramenta" para as pessoas que dependem da tal acessibilidade. Só que essa tal acessibiulidade está sendo jogada na lata do lixo, justamente por quem deveria protegê-la. Um carro da Polícia Civil com um asno ao volante, faz uma conversão em frente ao MPE e estaciona na frente do ponto de ônibus, em cima da calçada e em cima da "pista" para deficientes visuais. E saiu na boa!! Dá prá acreditar? É a Bahia contribuindo para a estatística de ser sua capital uma das cidades mais mal educadas do Brasil. Infelizmente.

sábado, 17 de março de 2012

Festival de Música

Bom! Muito bom o 1º Festival de Música de Mairi. Como em todo festival que se preza alguns imprevistos aconteceram e, por ter sido o 1º, certamente que daqui para a frente os próximos serão mais organizados, se é que se pode "organizar" um festival. Vou dividir essa postagem em dois temas: CRÍTICA, na esperança que os organizadores entendam como sugestões de acertos e ELOGIOS, para que se mantenha o que está bom. Portanto, vamos lá:
CRÍTICAS: 1) Se o Festival foi "aberto" não tem porquê a apresentadora enfatizar que o evento foi voltado para as cidades que compõem a Bacia do Jacuípe! Tivemos participantes de Itaberaba, que não faz parte do grupo de municípios dessa Bacia, por exemplo;
2) Ficou feio o fato da Mairi FM, que está acostumada a transmitir eventos, disponibilizar apenas um microfone para os dois apresentadores do Festival, que, diga-se de passagem, mandaram bem, apesar do improviso. Imperdoável e amadoresca a atitude da rádio em não disponibilizar os equipamentos necessários para a locução. E olhe que a apresentadora salientava a todo instante que o evento estava sendo gravado em vídeo e transmitido em áudio em tempo real;
3) A principal crítica vai para a operação do som! O Festival, por ter sido o primeiro, tem que ter suas falhas perdoadas, principalmente aquelas que ocorreram durante o desenrolar do mesmo. Aliás, foram insignificantes, eu diria. O pior mesmo foi o som! Por pertencer a um grupo acostumado a fazer sonorização para eventos não se pode aceitar a péssima qualidade que se viu. Vou dar alguns exemplos:
a - Quando alguém era acompanhado pela bateria, por exemplo, apenas o "bumbo" era ouvido e o grave batia bem. O 3º participante, se não me falha a memória, teve sua participação altamente prejudicada pela falta da presença da guitarra. Não se admite um Rock sem a boa e velha guitarra. Não estou falando de barulho, mas sim de "presença". O contra-baixo foi ouvido depois da metade da música! No geral, quem tocou em grupo se deu mal, a exemplo do pessoal de Itaberaba que fez um forrozinho gostoso mas ninguém conseguia entender o que o vocalista dizia. Foi assim com Jande, que como outros teve sua apresentação comprometida pela péssima qualidade do som. Quem tocou sozinho, no estilo voz e violão, se deu melhor, a exemplo do garoto filho do músico Cleber;
b - Ou o operador de som é surdo ou muito ruim. O 7 de Setembro tem uma acústica espetacular! Talvez o problema para o som de voz meio escuro, tenha sido o uso excessivo do reverber o que certamente troxe um choque sonoro, como aconteceu. Da metade da apresentação em diante o grave "caiu", ficando presente apenas no insistente pedal da bateria. Para hoje deveriam olhar o som com mais carinho. Afinal, é a grande finalíssima;
4) A organização cometeu, a meu ver, seu maior pecado: se temos cinco prêmios, por que deixar apenas cinco classificados para a finalíssima? Ora, se um dos cinco chegar hoje e "falar" sua música apenas, já tem um prêmio! Tirou-nos o prazer da expectativa! Se temos dezesseis participantes o interessante era que se mandasse para a próxima fase, pelo menos a metade. Aí sim, teríamos motivos para torcer e mais ansiedade prá "adrenalizar" o sangue. Fica, pois, o conselho para os próximos;
5) Por onde andam as cadeiras do 7 de Setembro? Quando o evento é pago, um absurdo, aliás, fica impossível se transitar entre os sanitários, o bar e o salão de tantas mesas e cadeiras. Por que foram disponibilizadas tão poucas cadeiras? As outras "estão emprestadas", como ouvimos comentários ontem? E se estão emprestadas, com a autorização de quem? O Espaço Cultural 7 de Setembro pertence a quem? Estão achando que a coisa pública é propriedade privada. Bem feito!! Merecemos!
ELOGIOS - A iniciativa do Departamento de Cultura tem que ser reconhecida. Pena que a administração do município não estava presente para entender que nem só de fazenda e pão vive o homem. Um evento dessa magnitude é para ser divulgado em todas as mídias disponíveis. Encontrei ontem um amigo que, apesar de estar ouvindo a Mairi FM disse desconhecer a realização do festival!!
A premiação foi outro ponto fraquíssimo. E o elogio é para a própria organização do festival e os participantes que mostraram que o importante é "matar um leão por dia", muito embora se corra o risco de um dia virar a vítima. Quando os administradores dessa cidade vão acordar? E não estou falando da atualidade: sempre foi assim! A pergunta correta seria "até quando aguentaremos?" Que venha, então, o 2º Festival de Música de Mairi, escancarado a quem quiser participar, sem aquela coisa de "Bacia do Jacuípe!" Já está meio pegajoso e bairrista.

terça-feira, 6 de março de 2012

"O Grande Encontro!"!

Nos idos de 1970 e 1980, em plena efervecência do Movimento Feminista, três mulheres se encontraram na Suiça para discutirem as diretrizes a serem seguidas. Eram elas uma americana, uma inglesa e uma brasileira, nascida num vilarejo chamado "Não-sei-quem-lá-Sarney", no Maranhão. Após uma semana de discussões, acertaram um novo encontro para a mesma data no ano que vem para explicarem o que de fato mudou em suas vidas. No dia do segundo encontro lá estavam as três senhoras e, como mais metida a besta, a americana "abriu os trabalhos" relatando o seguinte:
"Well, no primeiro dia que retornei à minha casa chamei meu marido e lhe falei que não lavaria mais uma peça sequer de suas roupas!! Aí ele lavou uma cueca, no segundo dia suas meias e, prá terminar, graças ao nosso Encontro somos donos da maior rede de lavanderias dos Estados Unidos!!
Após os aplausos de praxe, a elegantérrima inglesa começa seu relato:
"Well, eu também, ao chegar em casa, falei pro marido que não cozinharia mais a partir daquele dia. Aí ele fritou seu primeiro ovo, no segundo dia preparou as torradas para o café e, graças ao nosso Encontro, nos tornamos donos da maior rede de Fast Food do Reino Unido!!
Novamente mais aplausos calorosos e, por fim, Eleuzina, paraibana arretada, usou a palavra:
"Óia, eu tombém cheguei em casa e falei pro marido que num ia mais barrer porra de terreiro nenhum, num ia mais botá comida pros porco, num ia mais disincravá suas unha dos pé e nem carregá água na cabeça!!
"E qual foi o resultado?" - Quiseram saber suas colegas ansiosas:
"Bem, graças ao nosso Encontro, no premêro dia eu num vô minti: num vi nada...! No segundo dia, tombém num vi nada... Mas no terceiro dia, aí os óio já tava mais disinchado...