quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Uns versinhos de desencanto!!

                        O Cordel de Mairi
Já faz tempo que conheço
Minha cidade, meu lugar
Como também já faz tempo
Que eu não  vejo ela andar
Parece que hoje em dia
Entrou em tal  letargia
Que não vai mais prosperar!

Olhe, moço, eu já vi
Coisas boas nesse lugar:
Teve três ou quatro bancos
Todos a negociar
E boi gordo não faltava
De caminhão se transportava
E os frigoríficos a comprar.

Salvador, ou Fortaleza
Não importava o destino:
Sendo boi de Mairi
Nêgo comprava sorrindo
Sabiam da procedência
Gado bom por excelência
Coisa boa, trato fino.

Recife também fazia
Parte do nosso roteiro
Recebia sua cota
Em caminhão boiadeiro
Zezito, Didi e João Borges
Usavam os bancos, não alforjes
Prá guardar muito dinheiro!

Hoje? É só tristeza!
Nem banco aqui tem mais!!
Tem “dois” que emprestam grana
A juros altos demais
Pior que os agiotas
Que são meus compatriotas
Que não me deixam  mentir, jamais.

Tá pensando que Mairi
Tá indo rumo ao progresso?
Vejam então o nosso ensino
Que já fez tanto sucesso!!
Hoje está privatizado
Com dois ou três beneficiados
Em situação de regresso.

Deixaram fechar a CNEC
O que mais inda vão fechar?
O Abelardo, o Edeltrudes...
Aonde vamos estudar?
Se até no GEGV
Pois bem, veja você:
Os livros  tem de comprar!!

“Mas lá o ensino é grátis
Porque pública é a escola!!”
Mas então me responda:
Bem depressa, bem agora:
Por que adotaram livro
Da Editora  Positivo
Se o do MEC não demora?

“Só pode ser prá melhorar
A qualidade do ensino!!”
“Fica sentado esperando
Ser tapeado sêo menino!!”
Os tais Módulos são vendidos
Depois de feitos os pedidos
 SOMENTE em Zé Claudelino!!


O pior de tudo é o preço:
Prá muitos, altos demais
Vejam então a bela sinuca
Em que botaram muitos pais
Quem tem  o Bolsa Família
Com dois filhos e uma filha
Prá comprar, como é que faz?

A coisa fica pior
Com a forma de pagamento:
“É só à vista ou com cheque
Que seja do próprio emitente”.
E quem não puder comprar,
A escola vai tratar
Seu filho  como indigente?

Acho que isso é perverso
Mas são os pais que não reclamam
Ficam pelos cantos falando
E as discussões não inflamam
Então,  Diretor de escola
Junta a turma,  deita e rola!
Tudo isso é pura trama.


O aspecto da cidade
Tá mais ou menos, eu diria
E agora depois das “festas”
Tá aquela calmaria
Tem muita gente zanzando
Ninguém vendendo ou comprando
“É Mairi!! Quem diria!!”

E pensar que nos bons tempos
Os bancos viviam “entupidos”
“Quero plantar”, “Quero engordar!”
Era enorme o alarido
Mil  Propostas a tomar
Outro tanto a liberar
Isso eu presenciei, amigo!!

Faço um apelo a esse povo:
“Vamos mudar nosso rumo”
Afinal, ninguém é cachimbo
Pro tempo todo levar fumo!!
Vamos ficar mais espertos
E melhorar, estejam certos
E botar Mairi no prumo.



Doze unidades tem a dúzia
Doze meses tem o ano
Doze apóstolos teve Cristo
Doze vezes eu conclamo
Doze horas, mês de outubro
Doze mil semblantes rubros
O número doze teclando!

Mairi, janeiro de 2012
  Orlando Araújo.











4 comentários:

  1. Bom ver sua veia cordelista despertar novamente.
    O "mérito" pela situação da educação não é só de mairi, haja vista os indicadores de ensino de algumas cidades brasileira.

    ResponderExcluir
  2. Que os versinhos de desencanto possam despertar um novo encanto no eleitores aí de Mairi. Que saibam usar a arma de cada um para mudar essa história.

    Zaca
    Maringá - PARANÁ

    ResponderExcluir
  3. Você até tenta ser bastante criativo, mas deveria analisar direitinho aquilo que posta!

    ResponderExcluir
  4. Eu poderia usar a sua "arma" e excluir seu comentário! Não o farei. Você me dá ibope, apesar de tudo!

    ResponderExcluir