sábado, 31 de dezembro de 2011

Uma breve notícia

Os meus amigos leitores desse nosso espaço viram a minha denúncia que protocolei contra a diretora da Dires de Jacobina junto à Ouvidoria da SESAB. O primeiro "resultado prático" dessa denúncia foi ser devolvido arbitrariamente à SESAB. O outro ponto foi ter recebido algumas faltas no contracheque de dezembro, apesar de cumprir horário naquela Instituição.  Agora, estou aguardando o pagamento de janeiro para ver o que acontece. E tudo isso sem sequer ter sido aberta uma Sindicância, o que é a praxe nesses casos. Mesmo sem a devida apuração o denunciante passou a ser o réu!! Terei muito mais o que lhes contar. Mas a próxima postagem será uma análise minuciosa, inclusive com documentos comprobatórios das picaretagens praticadas pela cambada que se locupleta naquele importante órgão. Enquanto isso, os municípios (19) que a compõem estão completamente órfãos. Me aguardem.

Sem Providências!

Já faz quinze dias que a esposa do nosso amigo radialista Zé de Marotinho por pouco não sofre um grave acidente na nossa Feira Livre. Hoje, a mesma velha barraca estava no mesmo lugar e nas mesmas condições. Devem estar esperando que algo muito grave aconteça para que alguma providência seja tomada. Ou talvez isso esteja nos planos administrativos de 2012, como a recuperação asfáltica das ruas de Jacobina que são um suplício para os veículos e seus ocupantes. Mas a prefeita garante que em 2012 a cidade estará pavimentada!! Pois sim! Somos mesmo burros quando acreditamos no modelo de administração pública que nos impõem: só fazem alguma coisa, e quando fazem, no último ano dos respectivos mandatos. Deveriam ficar os três anos iniciais também sem receberem os salários, pagos pelos trouxas, digo, munícipes. Já entendi: os três primeiros anos são para o Planejamento das ações governamentais!! Daqui a exatos 365 dias veremos essas ações. Se puderem, tenham todos um feliz Ano Novo.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A "Contra-mão" do Socorro!!

Hoje pela manhã fui ao Hospital Deputado Luis Eduardo Magalhães para Uma consulta quase de urgência. Coisas da idade!! Chegando perto da entrada, ainda na Av. ACM, uma ambulância daquela unidade de saúde sai pelo segundo portão - correto!! - mas dá uma estúpida contra-mão. A uns 10 metros tem um espaço aberto no canteiro que permitiu ao veículo adentrar à sua faixa de rolamento. O engraçado é que a distância para o retorno correto e seguro, um pouco acima do referido portão de saída,  é exatamente a mesma: cerca de 10 metros!! Sabemos que aquela avenida tem um histórico triste quando se fala em acidentes. O que vi foi o apogeu da imbecilidade praticado pelo "motorista"  que, em vez de salvar vidas as coloca em risco maior por uma manobra irresponsável, absolutamente do mesmo tamanho da manobra correta. Ah, ia me esquecendo: fui bem atendido dentro da unidade. Fico imaginando se os motoristas das ambulâncias de lá têm esse mesmo "empenho" em salvar (??) vidas, como o fez o cidadão do plantão de hoje.

Boas Festas a todos!!

Estamos no finalzinho do ano. Um período mais que bom para fazermos uma "retrospectiva 2011" de tudo que fizemos: não apenas com a intenção de mostrar o que de melhor produzimos mas com o compromisso de em 2012 descartar o ruim, manter o que foi bom e acrescentar outras coisas ótimas em nossas vidas. Portanto, é bom que comecemos a pensar em excluir ou deletar a "preguiça  administrativa" do nosso município e pensarmos o quanto podemos avançar no Ano Novo. Não se esqueçam que no ano passado "avançamos" para o retrocesso administrativo quando abrimos mão do Mutirão de Catarata implantado pela SESAB e o perdemos para Baixa Grande!! Golaço da prefeitura de lá! Lembrem-se que neste ano de 2011 também "avançamos" rumo ao  "nada administrativo": até verbas para projetos importantes não fomos capazes de garantir. Por estas e outras é que conclamo todos vocês para a "Vigília da Dúzia!!" Não! Calma! Não é  mais um segmento evangélico sendo criado: é simplesmente ficarmos atentos para o número 12 que estará constantemente presente nas nossas vidas  no próximo ano de 2012. Daí a criação da "Vigília da Dúzia". Teremos, com certeza, 12 motivos para ter esperança de uma cidade próspera novamente. Feliz  Dois Mil e uma Dúzia para todos!!!!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

O Deslumbramento do Brasileiro

É inacreditável o que tentam fazer com o Neymar, colocando-o em pedestais não merecidos. Hoje, no Bom Dia Brasil da tv Globo, o deslumbrado "apresentador careca" de esportes   insistia, quando da chegada do timeco Santos no aeroporto, em dizer que o Neymar era uma maravilha e que os fãs o esperavam ansiosos!? E ainda falou em o Santos disputar outro mundial contra o Barça e conseguir a revanche. Isso já não é deslumbre ou sonho; é delírio!! Aplaudir  o quê? Estamos
acostumados a aplaudir a mediocridade, o sub-resultado, a falta de tempero. Também, com um futebol ordinário como o que presenciamos no País, esperar o quê? Não quero parecer "ave de mau agouro" mas botem as vossas barbas de molho: Essa Copa no Brasil me dá arrepios pela possibilidade da grande vergonha que o País poderá passar. Em 1950 perdemos a final. Agora, corremos o risco de não passar das oitavas. Se alguém duvida que faça suas apostas.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Utilidade Pública

Pessoal, sempre é bom lembrar das coisas úteis. Aí está uma delas.




RECADO DE UMA JUÍZA FEDERAL

POLICIA FEDERAL

Para o conhecimento

SE VOCÊ TIVER INFORTÚNIO DE SER VÍTIMA DE UM SEQÜESTRO-RELÂMPAGO, E TIVER
 QUE SACAR DINHEIRO NUM CAIXA ELETRÔNICO, MANTENHA A CALMA E TECLE SUA SENHA DE MANEIRA INVERSA!

POR EXEMPLO, SE SUA SENHA FOR 1234, VC TECLA 4321.


O CAIXA ELETRÔNICO VAI TE DAR O DINHEIRO, MAS VAI AVISAR A POLICIA, POIS DIGITAR UMA SENHA NVERTIDA ACIONA O MECANISMO DE EMERGÊNCIA!

POR FAVOR, PASSE A TODOS, ISSO E MUITO IMPORTANTE E A MAIORIA DAS PESSOAS
 AINDA NÃO SABE DISSO.

Liliane P. Bastos
CRP: 10529 Brasília - DF
Juíza Federal de Mediação Arbitral - ANAJUS - BRASIL Registro
Nacional: A0097

A Omissão da Prefeitura

Já vem de muito tempo a bagunça na nossa feira livre. Como também vem de muito tempo o maior crime ambiental da nossa história: o Lixão do Genipapo. Alguém pode dizer: "Não é culpa do prefeito Antonio Capeta porque não foi ele quem iniciou o depósito de lixo naquele local!" Está certo. O problema é que quem recebe o "bônus" assume o "ônus"! Nosso prefeito não começou o lixão mas fechou os olhos até hoje. E olhe que todos os dias ele passa naquela estrada! Há o comentário de que foi aprovado em audiência pública um projeto de tratamento adequado para nosso lixo. Antes tarde do que nunca. O problema é que todos os riachos, rios e solo até a foz do Rio Jacuípe, em Feira de Santana, estão irremediavelmente contaminados! Justo o Genipapo onde havia a famosa Lagôa de Arnor com suas tilápias enormes quando em época de cheia, o "caldeirão" entre a lagôa e o poço do Genipapo onde, com sua água sempre fria e sua sombra maravilhosa servia de descanso para viajantes ou para a molecada que saia para pescar ou caçar de "badogue" se deleitarem, também, com um refrescante banho no poço. Lamentável que ignorem tudo isso. 
Mas, o assunto principal de hoje é a horrível feira livre de Mairi. Com a aproximação dos festejos de fim de ano vem camelô de toda parte oferecer suas "maravilhas" à população. Ontem, sexta-feira, as ruas do entorno do Mercado Municipal estavam parecendo um Mercado Persa: verdadeiro amontoado de barracas atrapalhando principalmente o tráfego de veículos na área. Vi um cidadão com um colete com a inscrição FISCAL!? Não vi serventia alguma. Parei para observar a atividade do preposto da prefeitura e não entendi absolutamente nada: o que estava bagunçado continuou. Mas, o grande problema é que a atividade de FISCAL poderia ser exercida por pessoas mais preparadas, onde tivessem alguma noção de "avaliação estrutural", por exemplo. A Prefeitura deve ter no seu quadro funcional algum Engenheiro ou mesmo Mestre de Obra. Essas pessoas poderiam, periodicamente, inspecionar dentre outras coisas, as barracas de frutas e verduras, reavaliando inclusive o espaçamento entre elas. É um inferno fazer feira com os carrinhos de mão raspando nas pernas das pessoas e provocando engarrafamentos entre as barracas. Hoje por volta das 8 e 30 da manhã por pouco não acontece uma tragédia: por muito pouco mesmo a esposa do nosso querido radialista Zé de Marotinho não foi esmagada por uma banca de laranja que repentinamente desabou jogando-a de encontro à carroceria de um caminhão e depois ao chão, lesando seus joelhos. A crítica é por conta da omissão em inspecionar tais barracas de vez em quando.  Estrutura mal feitas, com madeira de péssima qualidade e colocam toneladas de laranja, manga, melacia, etc.,  em cima dessas estruturas. o risco de acidente grave é, sem dúvida, iminente. Fica  o alerta portanto: "Antes que o mal cresça corte a cabeça". Ou vamos esperar que as cabeças e pernas das pessoas sejam cortadas antes? 

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O Grande Sábio!!

      Joãozinho impagável.
Joãozinho petista 


Uma professora 
petista do ensino fundamental explicava aos alunos o "ser
petista". Pediu que levantassem a mão todos aqueles que fossem simpáticos ao
partido. 


Todos os alunos, por temerem represálias, levantaram a mão, exceto um menino
que estava sentado no fundo da sala. 


A professora olhou para o menino com surpresa e lhe perguntou: 

- Joãozinho, por que não levantou a mão? 

- Por que não sou petista! 
- respondeu. 

A professora perguntou de novo: 

- Se não é petista, então com quem se simpatiza? 

- Com os tucanos! 
- respondeu com orgulho o menino. 

A professora cujos ouvidos fanáticos não podiam dar crédito a algo assim,
exclamou: 

- Joãozinho, me diga: porque és simpático aos tucanos? 


O menino muito tranqüilo respondeu: 

- Minha mãe é tucano, meu pai é tucano, meu irmão é tucano, por isso eu

também sou tucano! 
- arrematou. 
- Bem,
 replicou a professora - mas isso não é um bom motivo. Você não tem
que ser tucano como seus pais. Por exemplo, se sua mãe fosse uma vadia, seu
irmão um meliante, vagabundo e contraventor e seu pai um fraudador ladrão de
dinheiro público, o que você seria? 

- Bom... Aí sim, certamente eu seria um petista!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

São apenas "Coincidências"...Premeditadas!!

Nas próximas eleições, vamos manter o PT no poder. Assim, estaremos assumindo de vez que somos uma República de Luz Vermelha ou, traduzindo, uma bela "Casa de Tolerância!!"! A decisão é sua.



POUCA GENTE SABE DISTO, 

VAMOS ESCLARECER A COISA.

ACREDITE SE QUISER:


O PAULO BERNARDO - MINISTRO DAS COMUNICAÇÕES É MARIDO DA SENADORA GLEISI HOFFMANN - CHEFE DA CASA CIVIL.

O GILBERTO CARVALHO - SECRETÁRIO GERAL DA PRESIDÊNCIA É IRMÃO DA MIRIAN BELCHIOR, MINISTRA DO PLANEJAMENTO.

ESSA MIRIAN BELCHIOR JÁ FOI CASADA COM O CELSO DANIEL, 

EX-PREFEITO DE SANTO ANDRÉ, QUE MORREU ASSASSINADO.

VOCÊ SABIA E NÃO CONTOU PRA NINGUÉM?

A doutora Elizabete Sato, delegada que foi escalada para investigar o processo sobre o assassinato do Prefeito de Santo André, Celso Daniel, é tia de Marcelo Sato, marido da Lurian, que, apenas por coincidência, é filha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Exatamente: Marcelo Sato, o genro do ex presidente da República, é sobrinho da Delegada Elisabete Sato, Titular do 78º DP, que demorou séculos para concluir que o caso Celso Daniel foi um "crime comum", sem motivação política.

Também apenas por coincidência,Marcelo Sato é dono de uma empresa de assessoria que presta serviços ao BESC - Banco de Santa Catarina (federalizado), no qual é dirigente Jorge Lorenzetti (churrasqueiro oficial do presidente Lula e um dos petistas envolvidos no escândalo da compra de dossiês).

E ainda, por outra incrível coincidência, o marido da senadora Ideli Salvatti (PT) é o Presidente do BESC.


CONCLUSÃO:
"OS POVO TÁ DORMINNO. NÓIS TÁ ACORDADO. NÓIS CUMPANHERO DA INTERNET SOMO VERDADERAMENTE UNIDO PRA FAZÊ O QUE NUNCA ANTES FOI FEITO NESSE PAÍS:

OU A CORRUPÇÃO PARA OU NÓIS
PARA O BRASIL!


SEJA PATRIOTA: Passe adiante.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Indiscutível realidade!!

Meu querido Zaca, "Pensador" como é, mandou-me mais essa observação mais que oportuna, sob o título de Inversão de Valores, com a qual concordo plenamente:




Passeata do orgulho Gay: 1 milhão de pessoas.

Passeata contra a 
Corrupção: 30.000 pessoas.

 "Tem mais gente lutando pelo direito de dar o rabo do que pelo direito de não ser enrabado."

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Pensamento do Dia.

O grande Violeiro e "Pensador" Júnior Pirigoso, das Minas Gerais, filosofou dessa maneira:
"As quatro melhores coisas do mundo, na verdade são só três: Mulher e Viola!! (tsé tsé tsé)

"Absolutamente certa a resposta!!!!!"

O Adairson, outro colega do BB Paraná, me enviou essa pérola:

O Aluno Tirou Nota 10!
*Não tem como não divulgar*
*Prova do Concurso de Química, foi perguntado:*
- Qual a diferença entre DISSOLUÇÃO e SOLUÇÃO?
*Resposta de um aluno:*
- Se colocarmos UM POLÍTICO BRASILEIRO num TANQUE DE ÁCIDO para que dissolva, será, obviamente, uma DISSOLUÇÃO. Agora, se colocarmos TODOS OS POLÍTICOS BRASILEIROS no mesmo TANQUE DE ÁCIDO, será, como sabemos, a SOLUÇÃO!!!! E ainda completou:
- Se liofilizar (processo de desidratação a baixa temperatura) teremos o mais Puro Extrato de Pó Merda do Mundo!

Injustiças da Língua Portuguesa!!

Outro "filósofo" e amigo meu, Antonio Rios, de Salvador, me presenteou com essa belíssima "observação", para que pudéssemos refletir sobre a nossa Língua Mãe. Concordo que faz sentido; ou não?


INJUSTIÇAS DA LÍNGUA PORTUGUESA. 
A Sociedade Feminina Brasileira se queixa do tratamento machista existente na gramática portuguesa, e com razão...
Vejam os exemplos :
Cão..............melhor amigo do homem.
Cadela...................puta.
Vagabundo...........homem que não faz nada.
Vagabunda.............puta. 
Touro....................homem forte.
Vaca.....................puta.
Pistoleiro...............homem que mata pessoas.
Pistoleira.................puta.
Aventureiro..........homem que se arrisca, viajante, desbravador. 
Aventureira.............puta.
Garoto de rua.........menino pobre, que vive na rua, um coitado.
Garota de rua..........puta.
Homem da vida........pessoa letrada pela sabedoria adquirida ao longo da vida.
Mulher da vida.......puta.
O Galinha...............o 'bonzão', que traça todas.
A Galinha...............puta.
Tiozinho.................irmão mais novo do pai.
Tiazinha...................puta.
Feiticeiro............conhecedor de alquimias.
Feiticeira..............puta.
Roberto Jefferson, Zé Dirceu, Maluf, ACM, Jader Barbalho, Eurico Miranda, Renan Calheiros, Lula, Delúbio.........políticos.
A mãe deles...............putas.
E pra finalizar...
Puto.....................nervoso, irritado, bravo.
Puta....................puta. 
Depois de ler este e.mail:
Homem................vai sorrir.
Mulher...............vai ficar puta.

O Golaço do Deputado Romário!!

Meus caros, prá quem achava que o "baixinho" fazia golaços só nos campos, vejam parte da entrevista que o craque deputado concedeu recentemente a um repórter da Record:


Parte de entrevista do ROMÁRIO ao jornalista Cosme Rimoli - TV Record .

- Você foi recebido com preconceito em Brasília?
Olha, vou ser claro para quem ler entender como as coisas são. Há o burro, aquele que não entende o que acontece ao redor. E há o ignorante, que não teve tempo de aprender. Não houve preconceito comigo porque não sou nem uma coisa nem outra. Mesmo tendo a rotina de um grande jogador que fui, nunca deixei de me informar, estudar. Vim de uma família muito humilde. Nasci na favela. Meu pai, que está no céu, e minha mãe ralaram para me dar além de comida, educação. Consciência das coisas... Não só joguei futebol. Frequentei dois anos de faculdade de Educação Física. E dois de moda. Sim, moda. Sempre gostei de roupa, de me vestir bem. Queria entender como as roupas eram feitas. Mas isso é o de menos. O que importa é que esta sede de conhecimento me deu preparo para ser uma pessoa consciente... Preparada para a vida. E insisto em uma tese em Brasília, com os outros deputados. O Brasil só vai deixar de ser um país tão atrasado quando a educação for valorizada. O professor é uma das classes que menos ganha e é a mais importante. O Brasil cria gerações de pessoas ignorantes porque não valoriza a Educação. E seus professores. Não há interesse de que a população brasileira deixe de ser ignorante. Há quem se beneficie disso. As pessoas que comandam o País precisam passar a enxergar isso. A Saúde é importante? Lógico que é.. Mas a Educação de um povo é muito mais.

- Essa ignorância ajuda a corrupção? Por exemplo, que legado deixou o Pan do Rio?
Você não tenha dúvidas que a ignorância é parceira da corrupção. Os gastos previstos para o Pan do Rio eram de, no máximo, R$ 400 milhões. Foram gastos R$ 3,5 bilhões. Vou dar um testemunho que nunca dei.. Comprei alguns apartamentos na Vila Panamericana do Rio como investimento.. A melhor coisa que fiz foi vender esses apartamentos rapidamente. Sabe por quê? A Vila do Pan foi construída em cima de um pântano. Está afundando. O Velódromo caríssimo está abandonado. Assim como o Complexo Aquático Maria Lenk... É um escândalo! Uma vergonha! Todos fingem não enxergar. Alguém ganhou muito dinheiro com o Panamericano do Rio. A ignorância da população é que deixa essa gente safada sossegada. Sabe que ninguém vai cobrar nada das autoridades. A população não sabe da força que tem. Por isso que defendo os professores. Não temos base cultural nem para entender o que acontece ao nosso lado. E muito menos para perceber a força que temos. Para que gente poderosa vai querer a população consciente? O Pan do Rio custou quatro vezes mais do que este do México. Não deixou legado algum e ninguém abre a boca para reclamar.

- Se o Pan foi assim, a Copa do Mundo no Brasil será uma festa para os corruptos...
Vou te dar um dado assustador. A presidente Dilma havia afirmado quando assumiu que a Copa custaria R$ 42 bilhões. Já está em R$ 72 bilhões. E ninguém sabe onde os gastos vão parar. Ningúem. Com exceção de São Paulo, Rio, Minas, Rio Grande do Sul e olhe lá...Pernambuco... Todas as outras sete arenas não terão o uso constante. E não havia nem a necessidade de serem construídas. Eu vi onze das doze... Estive em onze sedes da Copa e posso afirmar sem medo. Tem muita coisa errada. E de propósito para beneficiar poucas pessoas. Por que o Brasil teve de fazer 12 sedes e não oito como sempre acontecia nos outros países? Basta pensar. Quem se beneficia com tantas arenas construídas que servirão apenas para três jogos da Copa? É revoltante. Não há a mínima coerência na organização da Copa no Brasil.

- São Paulo acaba de ser confirmado como a sede da abertura da Copa. Você concorda?
Como posso concordar? Colocaram lá três tijolinhos em Itaquera e pronto... E a sede da abertura é lá. Quem pode garantir que o estádio ficará pronto a tempo? Não é por ser São Paulo, mas eu não concordaria com essa situação em lugar nenhum do País. Quando as pessoas poderosas querem é assim que funcionam as coisas no Brasil. No Maracanã também vão gastar uma fortuna, mais de um bilhão. E ninguém tem certeza dos gastos. Nem terá. Prometem, falam, garantem mas não há transparência. Minha luta é para que as obras não fiquem atrasadas de propósito. E depois aceleradas com gastos que ninguém controla.

- O que você acha de um estádio de mais de R$ 1 bilhão construído com recursos públicos. E entregue para um clube particular.
Você está falando do estádio do Corinthians, não é? Não vou concordar nunca. Os incentivos públicos para um estádio particular são imorais. Seja de que clube for. De que cidade for. Não há meio de uma população consciente aceitar. Não deveria haver conversa de politico que convencesse a todos a aceitar. Por isso repito que falta compreensão à população do que está acontecendo no Brasil para a Copa.

- A Fifa vai fazer o que quer com o Brasil?
Infelizmente, tudo indica que sim. Vai lucrar de R$ 3 a R$ 4 bilhões e não vai colocar um tostão no Brasil. É revoltante. Deveria dar apenas 10% para ajudar na Educação. Iria fazer um bem absurdo ao Brasil. Mas cadê coragem de cobrar alguma coisa da Fifa. Ela vai colocar o preço mais baixo dos ingressos da Copa a R$ 240,00. Só porque estamos brigando pela manutenção da meia entrada. É uma palhaçada! As classes C, D e E não vão ver a Copa no estádio. O Mundial é para a elite. Não é para o brasileiro comum assistir.

- Ricardo Teixeira tem condições de comandar o processo do Mundial de 2014?
Não tem de saúde. Eu falei há mais de quatro meses que ele não suportaria a pressão. Ser presidente da CBF e do Comitê Organizador Local é demais para qualquer um. Ainda mais com a idade que ele tem. Não deu outra. Caiu no hospital. E ainda diz que vai levar esse processo até o final. Eu acho um absurdo.

- Muito além da saúde de Ricardo Teixeira. Você acha que pelas várias denúncias, investigações da Polícia Federal.... Ele tem condições morais de comandar a organização Copa no Brasil?
Não. O Ricardo Teixeira não tem condições morais de organizar a Copa. Não até provar que é inocente. Que não tem cabimento nenhuma das denúncias. Até lá, não tem condições morais de estar no comando de todo o processo. Muito menos do futebol brasileiro...
Entrevista concedida ao repórter Cosme Rímoli, da TV Record.


 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

"Ô trem doido é mulher!!"

Parou no Hospital 
Mulher põe cola na vagina para enganar o noivo 
Ela queria fazer o noivo acreditar que era virgem e foi parar no hospital com a vagina colada.
Uma mulher de 22 anos, que mora na zona sul do Rio de Janeiro (RJ),
tomou uma atitude irresponsável, ao inserir cola dentro da vagina com a intenção de ludibriar o noivo, tentando se passar por virgem.
Durante a relação sexual, o noivo não conseguiu consumar o ato e desconfiou que algo de errado estivesse acontecendo com a noiva, pois o órgão da garota estava completamente fechado. “Eu achei que ela tivesse algum tipo de problema”, disse o noivo da jovem.
A descoberta de que a garota estaria com a vagina colada aconteceu quando ela própria resolveu revelar, ao se desesperar por não conseguir urinar. __"Colei com SuperBonder", disse a moça em prantos...
A jovem foi levada as pressas para o hospital, e atendida imediatamente pelos médicos de plantão de um hospital na zona sul do Rio, e passa bem. A vagina foi descolada mas está em "carne viva".

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Paraenses, escutem o Padre Antonio Vieira!!

Essa bela contribuição veio da minha amiga Acássia. Portanto, vejam de quando vem a roubalheira brasileira.





Eu li a materia toda... EXCELENTE! Um liçao sobre a historia brasileira e a realidadede um povo que está sendo usado como o instigador desta disputa.

Leiam, vale a pena.



Repassando...
 
" É MAIS FÁCIL VIGIAR UM LADRÃO, DO QUE DOIS, ASSIM COMO É MAIS DIFÍCIL ENCONTRAR DOIS HOMENS DE BEM, DO QUE UM "

Esta análise sobre a divisão Pará feita pelo Professor José Ribamar Bessa Freire é uma obra-prima jornalística, que nos remete aos tempos de Padre Antônio Vieira e seus famosos sermões. Vale a pena ler todo o artigo com atenção. Excelente!

TAPAJÓS E CARAJÁS: FURTO, FURTEI, FURTAREI
José Ribamar Bessa Freire 09/10/2011 - Diário do Amazonas
Essa foi a vaia mais estrondosa e demorada de toda a história da Amazônia. Começou no dia 4 de abril de 1654, em São Luís do Maranhão, com a conjugação do verbo furtar, e continuou ressoando em Belém, num auditório da Universidade Federal do Pará, na última quinta-feira, 6 de outubro, quando estudantes hostilizaram dois deputados federais que defendiam a criação dos Estados de Tapajós e Carajás.
A vaia, que atravessou os séculos, só será interrompida no dia 11 de dezembro próximo, quando quase 5 milhões de eleitores paraenses irão às urnas para votar, num plebiscito, se querem ou não a criação dos dois Estados desmembrados do Pará, que ficará reduzido a apenas 17% de seu atual território caso a resposta dos eleitores seja afirmativa.
A proposta de divisão territorial não é nova. Embora o fato não seja ensinado nas escolas, o certo é que Portugal manteve dois estados na América: o Estado do Brasil e o Estado do Maranhão e Grão-Pará, cada um com governador próprio, leis próprias e seu corpo de funcionários.
Somente um ano depois da Independência do Brasil, em agosto de 1823, é que o Grão-Pará aderiu ao estado independente, com ele se unificando.
Pois bem, no século XVII, a proposta era criar mais estados. Os colonos começaram a pressionar o rei de Portugal, D. João IV, para que as capitanias da região norte fossem transformadas em entidades autônomas. O padre Antônio Vieira, conselheiro do rei de Portugal, D. João IV, convenceu o monarca a fazer exatamente o contrário, criando um governo único do Estado do Maranhão e Grão-Pará sediado inicialmente em São Luís e depois em Belém. Para isso, o missionário jesuíta usou um argumento singular. Ele alegava que se o rei criasse outros estados na Amazônia, teria que nomear mais governadores, o que dificultaria o controle sobre eles. É mais fácil vigiar um ladrão do que dois, escreveu Vieira em carta ao rei, de 4 de abril de 1654: “Digo, senhor, que menos mal será um ladrão que dois, e que mais dificultoso será de achar dois homens de
bem que um só”.
Num sermão que pregou na sexta-feira santa, já em Lisboa, perante um auditório onde estavam membros da corte, juízes, ministros e conselheiros da Coroa, o padre Vieira, recém-chegado do Maranhão, acusou os governadores, nomeados por três anos, de enriquecerem durante o triênio, juntamente com seus amigos e apaniguados, dizendo que eles conjugavam o verbo furtar em todos os tempos, modos e pessoas. Vale a pena transcrever um trecho do seu sermão: - “Furtam pelo modo infinitivo, porque não tem fim o furtar com o fim do governo, e sempre lá deixam raízes em que se vão continuando os furtos. Esses mesmos modos conjugam por todas as pessoas: porque a primeira pessoa do verbo é a sua, as segundas os seus criados, e as terceiras quantos para isso têm indústria e consciência”.
Segundo Vieira, os governadores ”furtam juntamente por todos os tempos”. Roubam no tempo presente , “que é o seu tempo” durante o  triênio em que governam, e roubam ainda ”no pretérito e no futuro”. Roubam no passado perdoando dívidas antigas com o Estado em troca de propinas, “ vendendo perdões” e roubam no futuro quando “empenham as rendas e antecipam os contrato, com que tudo, o caído e não caído, lhe vem a cair nas mãos”. O missionário jesuíta, conselheiro e confessor do rei, prosseguiu: “Finalmente, nos mesmos tempos não lhe escapam os imperfeitos, perfeitos, mais-que-perfeitos, e quaisquer outros, porque furtam, furtavam, furtaram, furtariam e haveriam de furtar mais se mais houvesse. Em suma, que o resumo de toda esta rapante conjugação vem a ser o supino do mesmo verbo: a furtar, para furtar. E quando eles têm conjugado assim toda a voz ativa, e as miseráveis províncias suportado toda a passiva, eles como se tiveram feito grandes serviços tornam carregados de despojos e ricos; e elas ficam roubadas e consumidas”.
Numa atitude audaciosa, padre Vieira chama o próprio rei às suas responsabilidades, concluindo: “Em qualquer parte do mundo se pode verificar o que Isaías diz dos príncipes de Jerusalém: os teus príncipes são companheiros dos ladrões. E por que? São companheiros dos ladrões, porque os dissimulam; são companheiros dos ladrões, porque os consentem; são companheiros dos ladrões, porque lhes dão os postos e os poderes; são companheiros dos ladrões, porque talvez os defendem; e são finalmente, seus companheiros, porque os acompanham e hão de acompanhar ao inferno, onde os mesmos ladrões os levam consigo”.
Os dois novos Estados – Carajás e Tapajós – se criados, significam mais governadores, mais deputados, mais juízes, mais tribunais de contas, mais mordomias, mais assaltos aos cofres públicos. Por isso, o Conselho Indígena dos rios Tapajós e Arapiuns, sediado em Santarém, representando 13 povos de 52 aldeias, se pronunciou criticamente em relação à proposta. Em nota oficial, esclarece:
“Os indígenas, os quilombolas e os trabalhadores da região nunca estiveram na frente do movimento pela criação do Estado do Tapajós, porque essa não era sua reivindicação e também porque não eram convidados. Esse movimento foi iniciado e liderado nos últimos anos por políticos. E nós temos aprendido que o que é bom para essa gente dificilmente é bom para nós”.
P.S. - O professor José Ribamar Bessa Freire coordena o Programa de Estudos dos Povos Indígenas (UERJ), pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Memória Social (UNIRIO).

E que Cunhado!!

Meus amigos, essa é mais uma "grande" contribuição do meu querido paranaense Zaca, o filósofo de porta de boteco! Mas, ele não tem razão?






O CUNHADO
 
Um cara passou mal no meio da rua, caiu, e foi levado para o setor de emergência de um hospital particular pertencente à Universidade Católica e administrado totalmente por Freiras. Lá, verificou-se que teria que ser urgentemente operado no coração, o que foi feito com êxito.Quando acordou, a seu lado estava a Freira responsável pela tesouraria do hospital e que lhe disse prontamente:
- Caro Senhor, sua operação foi bem sucedida e o Senhor está salvo. Entretanto, um assunto precisa sua urgente atenção: como o Senhor pretende pagar a conta do hospital? O Senhor tem seguro-saúde?
- Não, Irmã.
- Tem cartão de crédito?
- Não, Irmã.
- Pode pagar em dinheiro?
- Não tenho dinheiro, Irmã.
- Em cheque, então?
- Também não, Irmã.
- Bem, o senhor tem algum parente que possa pagar a conta?
- Ah... Irmã, eu tenho somente uma irmã solteirona, que é freira, mas não tem um tostão.
A freira, corrigindo-o:
- Desculpe que lhe corrija, mas as freiras não são solteironas, como o senhor disse. Elas são casadas com Deus!
- Magnífico! Bem lembrado! Então, por favor, mande a conta pro meu cunhado!
Assim  nasceu a expressão 
"Deus lhe pague".
 

Foi uma "festa!!"

É o que muitos dirão, sobre as comemorações do Dia do Evangélico, celebrado ontem à noite em Mairi. E bota celebração nisso: tiraram até diabo do corpo de um morador do Bairro Coqueiro!! Também pudera: um enorme palco armado, um super som e a plenos pulmões os gritos de "sai desse corpo que ele não te pertence mais", em plena madrugada silenciosa,  não há diabo, por mais corajoso, que fique. Será que é necessário berrarmos para alcançarmos os ouvidos de Deus nosso Pai e os do nosso Irmão Jesus Cristo? Justo Jesus que falava com uma serenidade impressionante e conseguia se fazer ouvir a milhares de quilômetros!! Queremos, com o histerismo religioso, alcançar os ouvidos do Senhor ou aos nossos próprios, na tentativa de nos autoafirmarmos, de nos convencermos a nós mesmos? Toda comemoração é válida e deve ser conduzida dentro dos parâmetros de convivência cordial. Será que se alguém, proprietário de um daqueles carrões com "som de arromba" parasse em frente a uma dessas igrejas e arregaçasse o volume na hora dos seus cultos seus membros aceitariam? Por que temos que aceitar que se faça o contrário? Apenas porque falam "em nome de Deus"? Por que a Polícia pede para os rapazes abaixarem seus volumes na hora da Missa na Igreja Católica na Praça J. J. Seabra? A atitude é absolutamente correta disciplinadora, até porque tem um monte de imbecil que fica disputando "volume" na hora da celebração. Mas, e quando a celebração passa a ser a transgressora e tira o sossego merecido de quem precisa descansar para levantar cedinho para trabalhar ou, pior, tira o silêncio necessário ao repouso do enfermo? Cada vez me convenço de que "na Casa do Senhor não existe satanás" mesmo!!

"O Poderoso Chefão", versão Tupiniquim

Meus amigos, encontrei esse artigo que foi publicado por Veja, no blog do jornalista Ricardo Noblat. Vejam quanta safadeza!! Bem, como diria minha querida mãe, "quem havéra de duvidar?"



VEJA


O Poderoso Chefão

O ex-ministro José Dirceu mantém um “gabinete” num hotel de Brasília, onde despacha com graúdos da República e conspira contra o governo da presidente Dilma
Há muitas histórias em torno das atividades do ex-ministro José Dirceu. Veja revela a verdade sobre uma delas: mesmo com os direitos políticos cassados, sob ameaça de ir para a cadeia por corrupção, o chefe da quadrilha do mensalão continua o todo-poderoso comandante do PT. Dirceu é um homem de negócios, mas continua a ser o homem do partido.
O “ministro”, como ainda é tratado em tom solene pelos correligionários, mantém um “gabinete” num hotel de Brasília, onde despacha com senadores, deputados, o presidente da maior estatal do país e até ministro de estado — reuniões que acontecem em horário de expediente, como se ali fosse uma repartição pública.
E agora com um ingrediente ainda mais complicador: ele usa o poder e toda a influência que ainda detém no PT para conspirar contra o governo Dilma — e a presidente sabe disso.
O que leva personagens importantes e respeitáveis, como os que aparecem nas imagens que ilustram esta reportagem, a deixar seu local de trabalho para se reunir em um quarto de hotel com o homem acusado de chefiar uma quadrilha responsável pelo maior esquema de corrupção da história do Brasil? Alguns deles apresentam seus motivos: amizade, articulações políticas, análise econômica, às vezes até o simples acaso. Há quem nem sequer se lembre do encontro.
Outros preferem não explicar. Depois de viver na clandestinidade durante parte do regime militar, o ex-ministro José Dirceu se tornou habitué dos holofotes com a redemocratização do país. Foi fundador e presidente do PT, elegeu-se três vezes deputado federal e comandou a estratégia que resultou na eleição de Lula para a Presidência da República. Como recompensa, foi alçado ao posto de ministro-chefe da Casa Civil.
Foi um período de ouro para ele. Dirceu comandava as articulações no Congresso, negociava indicações de ministros para tribunais superiores, decidia o preenchimento de cargos e influenciava os mais apetitosos nacos da administração federal, como estatais, bancos públicos e fundos de pensão. Dirceu se jactava da condição de “primeiro-ministro” e alimentava o próprio mito de homem poderoso.
Sua glória durou até que ele fosse abatido pelo escândalo do mensalão, em 2005, quando se descobriu que chefiava também um bando de vigaristas que assaltava os cofres públicos.
Desde então, tudo em que Dirceu se envolve é sempre enevoado por suspeitas. Oficialmente, ele ganha a vida como um bem-sucedido consultor de empresas instalado em São Paulo. Mas é em Brasília, na mais absoluta clandestinidade outra vez, que ele continua a exercer o seu principal talento.
A 3 quilômetros do Palácio do Planalto, Dirceu mostra que suas garras estão afiadas. Ainda é chamado de “ministro”, mantém um concorrido gabinete num quarto de hotel, tem carro à disposição, motorista, secretário e, mais impressionante, sua agenda está sempre recheada de audiências com próceres da República — ministros, senadores e deputados.
As autoridades é que vão a José Dirceu. Essa inversão de papéis poderia se explicar por uma natural demonstração de respeito pelos tempos em que ele era governo. Não é. É uma efetiva demonstração de que o chefão ainda é poderoso.
Dirceu tenta recuperar o prestígio político que tinha no governo Lula, usando como arma muitos aliados que ainda lhe beijam o rosto. Convoca-os como soldados, quando necessário, numa tentativa de pressionar a presidente Dilma a atender a suas demandas. Ou torná-la refém por meio da pressão dos partidos.
Esse trabalho de guerrilha — e, em alguns momentos, de evidente conspiração — chegou ao paroxismo durante a crise que resultou na queda de Antonio Palocci da Casa Civil.
Naquela ocasião, início de junho, Dirceu despachou diretamente de seu bunker instalado na área vip de um hotel cinco-estrelas de Brasília, num andar onde o acesso é restrito a hóspedes e pessoas autorizadas. Foram 45 horas de reuniões que sacramentaram a derrocada de Antonio Palocci e durante as quais foi articulada uma frustrada tentativa do grupo do ex-ministro de ocupar os espaços que se abririam com a demissão.
Articulação minuciosamente monitorada pelo Palácio do Planalto, que já havia captado sinais de uma conspiração de Dirceu e do seu grupo para influir nos acontecimentos que ocorriam naquela semana — acontecimentos que, descobre-se agora, contavam com a participação de figuras do próprio governo.
Em 8 de junho, numa quarta-feira, Dirceu recebeu no hotel a visita do ministro do Desenvolvimento, o petista Fernando Pimentel. Conversaram por 28 minutos. Sobre o quê? Pimentel diz não se lembrar da pauta nem de quem partiu a iniciativa do encontro. Admite, no entanto, falar com frequência com o ex-ministro sobre o contexto brasileiro.
É uma estranha aproximação, mas que encontra explicação na lógica que une e separa certos políticos de acordo com o interesse do momento. Próximo a Dilma desde quando era estudante, Pimentel defendeu, durante a campanha, a ideia de que a então candidata do PT se afastasse ao máximo de Dirceu.
Pimentel e Dirceu estavam em campos opostos. Naquela ocasião, o atual ministro do Desenvolvimento nutria o sonho de se tornar o futuro chefe da Casa Civil.
Perdeu a chance depois de Veja revelar que funcionários contratados por ele para trabalhar na campanha montaram um grupo de inteligência cujas tarefas envolviam, entre outras coisas, espionar e fabricar dossiês contra 
os adversários, principalmente o concorrente do PSDB à Presidência, José Serra.
No novo governo, Pimentel foi preterido na Casa Civil em favor de Palocci. O mesmo Palocci que, no primeiro mandato de Lula, disputava com Dirceu o status de homem forte do governo e de candidato natural à Presidência da República.
Um cacique petista tenta explicar a união recente de Pimentel com José Dirceu: “No PT, é comum adversários num determinado instante se aliarem mais à frente para atingir um objetivo comum. Isso ocorre quando há uma conjução de interesses.”
Será que Pimentel queria se vingar de Palocci, a quem considerava um rival dentro do governo?
Dois dias antes, na segunda-feira, Dirceu esteve com José Sergio Gabrielli, presidente da Petrobras. Gabrielli enfrenta um processo de fritura desde o fim do governo Lula. A presidente Dilma não cultiva nenhuma simpatia por ele. Palocci pretendia tirar Gabrielli do comando da estatal.
Gabrielli precisava — e precisa — do apoio, sobretudo do PT, para se manter no cargo. Dirceu é consultor de empresas do setor de petróleo e gás. Precisa manter-se bem informado no ramo para fazer dinheiro. É o famoso encontro da fome com a vontade de comer — ou conjunção de interesses.
O presidente da Petrobras, que trabalha no Rio de Janeiro, chegou à suíte ocupada pelo ex-ministro da Casa Civil, no 16º andar do hotel, ciceroneado por um ajudante de ordens. Permaneceu lá exatos trinta minutos. Ao sair, o presidente da Petrobras, que chegou ao quarto de mãos vazias, carregava alguns papeis consigo.
Perguntado sobre a visita, Gabrielli limitou-se a desconversar: “Sou amigo dele há muito tempo, e não tenho que comentar isso com ninguém”.
Naquela noite de segunda-feira, a demissão de Palocci já estava definida. O ministro não havia conseguido explicar a incrível fortuna que acumulou em alguns meses prestando serviços de consultoria — a mesma atividade de Dirceu.
Na terça-feira, horas antes da demissão de Palocci, Dirceu recebeu para uma conversa de 54 minutos três senadores do PT: Delcídio Amaral, Walter Pinheiro e Lindbergh Farias. Esse último conta que foi ele quem pediu a
audiência.
Qual assunto? Falaram do furacão que assomava à porta da Casa Civil. “O ministro Dirceu nunca falou um ‘ai’ contra o Palocci. Pelo contrário, sempre tentou resolver a crise com a ajuda da nossa bancada”, garante Farias.
De fato, a bancada foi decisiva — mas para sepultar de vez a tentativa de Palocci de salvar a própria pele. Logo após o encontro com Dirceu, os três senadores foram a uma reunião da bancada do PT e recusaram-se a assinar uma nota em defesa do então ministro-chefe da Casa Civil. Alegaram que a proposta não havia sido combinada com o Planalto.
Existiam outros motivos para a falta de entusiasmo: o trio também estava insatisfeito com Palocci. Delcídio reclamava do fato de não conseguir emplacar aliados em representações de órgãos federais em Mato Grosso do 
Sul, seu estado natal e berço político. “Num momento tenso como aquele, fui conversar com alguém que está sempre bem informado sobre os acontecimentos”, explicou Delcídio sobre o encontro com o poderoso chefão.
Pinheiro estava contrariado com a demissão de um petista do comando da Polícia Rodoviária Federal na Bahia. “O encontro foi para fornecer material para que ele publicasse um artigo sobre o projeto de lei que trata da produção audiovisual no país”, disse ele.
Lindbergh Farias, por seu turno, ainda digeria as tentativas fracassadas de ser recebido por Palocci. No fim da tarde de terça-feira, o ministro-chefe da Casa Civil entregou sua carta de demissão. E teve início a disputa pela sua sucessão.
Quando Gleisi Hoffmann já havia sido anunciada como substituta de Palocci, no mesmo dia 7 de junho, Dirceu recebeu o deputado petista Devanir Ribeiro. Foram 25 minutos de conversa. Já era sabido que, no rastro da saída de Palocci, Luiz Sérgio, um aliado de Dirceu, deixaria o ministério das Relações Institucionais.
Estava deflagrada a campanha para sucedê-lo — e Dirceu queria emplacar no cargo o deputado Cândido Vaccarezza, líder do governo na Câmara.
Procurado por Veja, Devanir, que é compadre do presidente Lula, negou que tivesse ido ao hotel conversar com Dirceu. Um lapso de memória, como deixa claro a imagem nesta reportagem. “Faz muito tempo que eu não o vejo.”
Na quarta-feira, 8 de junho, pela manhã, as articulações de Dirceu continuaram a pleno vapor. Ele recebeu o próprio Vacarezza. Durante 25 minutos, trataram, segundo o líder, do congresso do PT que será realizado em setembro.
“Converso com o Dirceu com regularidade. Como o caso do Palocci era palpitante, é possível que tenha sido abordado, mas não foi o tema central”, afirma o deputado — que, no início do governo Dilma, chegou a dar entrevistas como o futuro presidente da Câmara, mas acabou convencido a desistir de disputar o cargo por ter perdido apoio dentro do PT.
A agenda do chefão não se limita aos companheiros de partido. Duas horas depois do encontro com Vacarezza, foi a vez de o senador peemedebista Eduardo Braga adentrar o hotel.
Segundo o parlamentar, ele e Dirceu se encontraram por obra do acaso, no lobby, uma coincidência. O senador conta que aproveitou a coincidência para auscultar os ânimos do PT sobre o projeto do novo Código Florestal: “Queria saber como o PT se posicionaria. Ninguém pode negar que a máquina partidária petista foi arquitetada e construída pelo Dirceu. Ele respira o partido”.
O PMDB também respira poder. Com o apoio de Dirceu, peemedebistas e petistas fecharam um acordo para pressionar o Planalto a indicar Vacarezza ao cargo de ministro de Relações Institucionais no lugar de Luiz Sérgio. A substituição nessa pasta foi realizada três dias depois da queda de Palocci.
Informada do plano de Dirceu, a presidente Dilma desmontou-o ao nomear para o cargo a ex-senadora Ideli Salvatti. A presidente já havia sido advertida por assessores do perigo de delegar poderes a companheiros que orbitam em torno de Dirceu.
Mas Dilma também conhece bem os caminhos da guerrilha política. Chamada de “minha camarada de armas” por ele quando lhe foi passado o comando da Casa Civil, em 2005, a presidente não perde de vista os passos do chefão. Como? Pedindo a algumas autoridades que visitam Dirceu em Brasília informações sobre suas ambições.
“A Dilma e o PT, principalmente o PT afinado com o Dirceu, vivem uma relação de amor e ódio. Mas hoje você não pode imaginar um rompimento entre eles”, diz um interlocutor de confiança da presidente e do ex-ministro.
E amanhã? Se Dilma se consolidar como uma presidente popular e, mais perigoso, um entrave a um novo mandato de Lula, o tal rompimento entra no campo das possibilidades. “Nunca a turma do PT foi tão lulista como hoje. Imagine em 2014”, afirma um cardeal do partido. Ele é mais um, como Dirceu, insatisfeito com o fato de a legenda não ter conseguido, como previra o ex-ministro, impor-se à presidente da República.
Dilma está resistindo bem. Uma faxina menos visível é a que ela está fazendo nos bancos públicos. Aos poucos, vem substituindo camaradas ligados a Dirceu por gente de sua confiança. E o chefão não está nada contente com isso. Tanto que tem alimentado o noticiário com denúncias contra pessoas muito próximas à presidente, naquele tipo de patriotismo interessado que lhe é peculiar.
Procurado por Veja, Dirceu não respondeu às perguntas que lhe foram feitas. A suíte reservada permanentemente ao “ministro” custa 500 reais a diária. Para chegar de elevador, é preciso um cartão de acesso especial. Cada quarto do andar recebe uma única cópia.
Qualquer visita ao “ministro”, portanto, tem de ser conduzida ao andar. Esse trabalho de cicerone é feito por Alexandre Simas de Oliveira, um cabo da Aeronáutica, que foi assessor de Dirceu na Câmara dos Deputados até ele ter o mandato cassado.
Hoje, o cicerone é empregado do escritório de advocacia Tessele & Madalena, que tem como um dos donos outro ex-assessor de Dirceu, o advogado Hélio Madalena. O advogado já foi flagrado uma vez de caso com a máfia — a russa. Escutas feitas pela Polícia Federal mostraram que, na condição de assessor da Casa Civil, ele fazia lobby para conceder asilo político no Brasil ao magnata russo Boris Berezovski (mafioso acusado de corrupção e assassinato).
E Madalena foi flagrado outra vez na semana passada. É o seu escritório que paga a fatura do “gabinete” de José Dirceu. Na última quinta-feira, depois de ser indagado sobre o caso, Madalena instou a segurança do hotel Naoum a procurar uma delegacia de polícia para acusar o repórter de Veja de ter tentado invadir o apartamento que seu escritório aluga e, gentilmente, cede como “ocupação residencial” a José Dirceu.
O jornalista esteve mesmo no hotel, investigando, tentando descobrir que atração é essa que um homem acusado de chefiar uma quadrilha de vigaristas ainda exerce sobre tantas autoridades. Tentando descobrir por que o nome dele não consta da relação de hóspedes. Tentando descobrir por que uma empresa de advocacia paga a fatura de sua misteriosa “residência” em Brasília.
Enfim, tentando mostrar a verdade sobre as atividades de um personagem que age sempre na sombra. E conseguiu. Mas a máfia não perdoa.