quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Perseguição consumada.

Senhores, aí está mais uma grande injustiça praticada pela "turma da Dires". Não medem esforços para prejudicar pessoas, atropelam tudo e todos numa arrogância nunca dantes vista. Para o PT que batia tanto no saudoso ACM, fica confirmada a máxima: "Dá o poder à oposição e verás, de fato, do que são capazes!!" Essa turma dá medo!! Vejam o teor da carta abaixo, escrita pelo vigilante "Pantera", demitido da Dires.



Jacobina (BA), 18 de outubro de 2011

Para Emerson Santos (www.bahiaacontece.com)

Nesta.

Trago ao seu conhecimento mais uma injustiça das muitas cometidas pela Diretora de 16ª Dires, Kátia Alves. Essa senhora de modo absolutamente covarde pediu a minha demissão da Empresa de segurança que serve à Dires. Até hoje o Coordenador Administrativo e a própria Diretora não me informaram o motivo do pedido de demissão. Isso se configura como a mais pura e simples perseguição à minha pessoa, pelo simples fato de ser amigo dos funcionários que a denunciaram junto à SESAB. Ela acha que pode perseguir as pessoas, e o faz acintosamente, simplesmente por  serem amigas de quem não reza na cartilha dela. É comum notar no semblante de algumas pessoas as rugas de preocupação quando chegam prá trabalhar. Essa senhora transformou o ambiente da Dires numa coisa ruim e danosa. Não raro vemos funcionárias chorando pelos corredores após serem  maltratadas pela Diretora, numa explosão de arrogância e prepotência sem igual. Nunca em tempo algum, nos meus 09 anos como vigilante daquele órgão presenciei tantas injustiças sendo praticadas. Em qualquer reunião que ela faz a história é a mesma: afirma que tem poder na Sesab e que na Dires  manda ela. Sabemos que como Diretora ela pode dar ordens. Não da forma estúpida como vem acontecendo. Eu imaginava que até mesmo os rancorosos tivessem um pouco de dignidade. Qual nada! Até hoje a Diretoria da Dires não me explicou porque pediu a minha demissão. Tenho aqui o Aviso Prévio do Empregador para confirmar. O que eles pensam realizar com uma atitude tão vil e mesquinha? Sou trabalhador e tenho família para sustentar. Voltamos à época da Ditadura onde se praticava as piores atrocidades e nada acontecia? Qual o prazer que uma pessoa que pratica tal injustiça pode ter? Se podemos dizer “prazer”. Isso só confirma o tipo de índole deles. Certamente eu para me dar bem teria que ficar inimigo de pessoas que nunca me causaram dano algum para me manter no emprego. Ou, na pior das hipóteses, escutar algum comentário e levar aos seus ouvidos, como aliás é pratica corriqueira no órgão: pessoas que são o tempo todo amedrontadas precisam cair “nas graças da Chefe”. E aí levam tudo que podem para fazer média. É lamentável mas é verdade. E é tudo feito à traição, na surdina, como é típico das pessoas que têm a maldade como sua companheira. Ainda tenho esperança de que alguém  esclareça minha demissão. Tenho esse direito, no mínimo.

Abraços,

Antonio Santana Dias

2 comentários:

  1. É amigos !
    Infelizmente esse tipo de coisa já se tornou prática comun no Governo atual, eu tambem sou servidor da Secretaria da Fazenda, fui removido por que descobrir irregularidades na IFMT-Norte.
    Hoje estou lotado em Jacobina colocado para desenvolver outra atividade, sem que eu tenha realizado qualquer curso totalmente diferente da que eu exercia. e recebendo pressão para desempenhar mesmo sem saber sob ameaça de ter as Gratificações reduzidas.
    É perseguição geral na Bahia, e falavam de ACM !

    ResponderExcluir
  2. Dedé, a pergunta é: se fosse você ou eu os denunciados, haveria essa morosidade toda na resolução das denúncias? Por que, além de protelarem um desfecho decente ainda nos sacaneiam com severas retaliações? É o corporativismo dos canalhas!!

    ResponderExcluir