quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Festa da Padroeira 2011

Bonito, muito bonito! A nossa Paróquia está de parabéns mais uma vez. Foi trabalhoso certamente mas valeu a pena: no final ficou BONITO!! Até eu "viajei" no tempo, no dia que o pessoal fez a apresentação linda das Cantigas de Roda. Não resisti, entrei na roda e mandei um versinho. Emocionante. A apresentação do Samba de Roda da Aroeira foi dez! A mulherada mostrou que nosso samba "não tem sexo"; e se tiver, tem dois. A única coisa que não me agradou foi a demora da saída do Cortejo do Bonfim. Não é justo um evento religioso ser marcado e lembrado pelos padres na noite anterior (sexta) como sendo às 9:00hs em ponto e  tudo se atrasar por conta dos cavaleiros que até as 9:30 ainda estavam dando banho em algumas  montarias. Acho falta de consideração para com a igreja, os fiéis e baianas que amargaram um calor fortíssimo fazendo o percurso a pé. Neguinho dos cavalos tava se dando bem e nem aí para a parte religiosa: tome cerveja gelada ao lombo das montarias!! A idéia de Zé Navarro de fazer uma premiação surpresa foi muito legal. Além de incentivar futuramente a participação maior da população no evento, a galera certamente vai caprichar cada vez mais. Até eu fui um dos jurados, com muito prazer e orgulho. Foi bacana ver D. Alaíde com aquela alegria contagiante, Perpétua, Louro, Celúcia, enfim, a Turma da Labuta que "né brinquedo não!!" O samba nosso de cada dia sendo executado na Praça J. J. Seabra, perto da Igreja, foi muito legal: o grupo do João de Sabino tá de parabéns. Foi muito bom ver o empenho de Elineuza em aparar algumas arestas que teimavam em aparecer. Muita luta mas que valeu a pena. Principalmente com a vinda do grupo de teatro de Várzea da Roça que só aumentou o brilho da festa, mostrando coisas novas que bem poderiam ser aproveitadas pelas pessoas que detêm o poder, numa forma de inclusão mais que total da nossa população. Principalmente os jovens que não dispõem de tanto apoio. O grupo de teatro de Várzea da Roça também NÃO tem o apoio que merece. Os integrantes se auto financiam, ou seja, pagam prá estudar, fazer figurino, alugar carro prá viajar, etc., mas por trás tem sempre uma pessoa que não deixa a peteca cair. Vai à luta, incentiva, corre atrás. Precisamos copiar atitudes como essas. No geral da festa, discordo só num ponto: a imagem da querida Nossa Senhora das Dores, Padroeira da cidade e portanto a grande homenageada, não poderia ficar em segundo plano. É certo que ela, como mãe, cedeu seu lugar para seu Filho Ilustre e muito bonito por sinal. Mas, ainda assim, sendo Ela a Mãe e a grande homenageada, também como Padroeira não deveria ter sido retirada do seu posto no Altar. Pensemos, então. Ano que vem tem mais e "mió".

Nenhum comentário:

Postar um comentário