quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O "Monte é Negro!!"

Hoje, estava em Várzea do Poço, mais exatamente no Hospital Municipal e ouvia o programa Jornal do Meio-Dia da rádio Viva Voz FM de Várzea da Roça. Excelente o formato do programa! Aí a "surpresa": "Empresa de fachada faturou mais de hum milhão de reais..."! Como era o nome da empresa? "JAIR CONSTRUÇÕES E EMPREENDIMENTOS LTDA" Pois é: olha que nome sugestivo JAIR!!! E a sede da tal empresa é um imóvel residencial de classe média na cidade de (in)Glória, administrada pela esposa do Sinistro, ou melhor, Ministro das Cidades, Dr. Manzá! Eu mesmo publiquei um comentário sobre o "sanguessuga" Negromonte. O povo brasileiro merece os políticos e a "cumpanheirada" do Planalto e pelo Brasil, numa forte indicação de que o País está irremediavelmente contaminado por esses ladrões. O outro comentário da Viva Voz foi com respeito  à deputada filha do outro ladrão Joaquim Roriz. Essa matéria foi mais interessante porque havia um trecho da gravação onde a picareta dizia "...Em 2006 eu não era Deputada. Eu era uma cidadã comum..." Aí eu me retei: dei um  murro no volante do carro e desabafei: ordinária!! ela tem de respeitar os "Cidadãos Comuns (com Maiúsculas)! São essas pessoas, sem cargos e pilhados por ela, seu pai e seus pares infames, que pagam as mordomias desses cretinos. O Cidadão Comum merece respeito. Ela estava errada no comentário: em 2006  ela já era ladra junto com o pai. Mas aí vem a votação secreta e "a filha do excelentíssimo governador" foi absolvida pelos seus pares... Tão ladrões quanto!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

A Casa de Noca

Esculhambou geral: a 16ª Dires virou uma carroça desembestada, como se diz no Ceará. Está indo de mal a pior. Recebemos, os motoristas, por ordem da diretora e das mãos do Coordenador Administrativo, um documento da Sesab/Diretoria Geral. Na verdade é a Instrução Normativa onde regula o uso dos veículos oficiais e a postura que deve ser adotada pelos seus condutores. Documento muito bem redigido pela  mas que virou motivo de piada: a pessoa responsável pela fiscalização e cumprimento das determinações, no caso o Coordenador Administrativo Sr. Luciano Lages, é o primeiro a jogar tal instrução na lata do lixo. Com a benevolência dos motoristas Antonio Dantas, Ademilton Brasileiro e Janildo, o mesmo é apanhado em casa pela manhã, levado de volta ao meio dia e retorna às 14 horas, findando seu passeio com o carro da Dires às 17 horas. E esses colegas são muito gentis, realmente: funcionários do setor financeiro, Vigilância Epidemiológica, familiares, periquitos e papagaios, etc. são levados e trazidos de carona todos os dias. Vale lembrar que todos recebem Auxílio Transporte!! O engraçado é que quando são solicitados a dirigirem para a Dires (na cidade) a confusão está formada: cara feia, reclamações mil, ameaças de deixar as chaves na sala do transporte, puro jogo de cena. Mas, apareceu uma viagem, a coisa muda: alguns vendem até a mãe - e entregam!! a fim de fazerem a viagem.  Acrescente-se a tudo isso a conivência da diretora!! Virou, definitivamente, A Casa de Noca!!

Censura em pleno Século XXI!

Meus caros, a mais dos Atos Secretos do Senado onde o jornal Estadão denunciou as facaltruas? Pois é: em represália,  o desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, proibiu qualquer publicação sobre a operação Boi Barrica, onde o filho do senador está envolvido. Vejam a matéria abaixo.

Felipe Recondo, de O Estado de S.Paulo
O desembargador Dácio Vieira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), proibiu o jornal O Estado de S. Paulo e o portal Estadão de publicar reportagens que contenham informações da Operação Faktor, mais conhecida como Boi Barrica. O recurso judicial, que pôs o jornal sob censura, foi apresentado pelo empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) - que está no centro de uma crise política no Congresso.
Veja também:
O pedido de Fernando Sarney chegou ao desembargador na quinta-feira, no fim do dia. E pela manhã desta Sexta-feira a liminar havia sido concedida pelo magistrado. O juiz determinou que o Estado não publique mais informações sobre a investigação que a Polícia Federal faz sobre o caso.
Se houver descumprimento da decisão, o desembargador Dácio Vieira determinou aplicação de multa de R$ 150 mil - por "cada ato de violação do presente comando judicial", isto é, para cada reportagem publicada.
Multa
O pedido inicial de Fernando Sarney era para que fosse aplicada multa de R$ 300 mil em caso de descumprimento da decisão judicial.
O advogado do Grupo Estado, Manuel Alceu Afonso Ferreira, avisou que vai recorrer da liminar. "Há um valor constitucional maior, que é o da liberdade de imprensa, principalmente quando esta liberdade se dá em benefício do interesse público", observou Manuel Alceu. "O jornal tomará as medidas cabíveis."
O diretor de Conteúdo do Grupo Estado, Ricardo Gandour, afirmou que a medida não mudará a conduta do jornal. "O Estado não se intimidará, como nunca em sua história se intimidou. Respeita os parâmetros da lei, mas utiliza métodos jornalísticos lícitos e éticos para levar informações de interesse público à sociedade", disse Gandour.

Mais Uma do Ministro "Manzá"

O Jornal O Estado publicou ampla matéria envolvendo o nome do Ministro das Cidades, Mário Negromonte. Segundo a matéria, o "sanguessuga" continua com apetite voraz e permanece sugando freneticamente o sangue do brasileiro que literalmente se mata para produzir muito, receber pouco e bancar as mordomias e roubalheiras de gente como os mários negromontes (aos montes) da política brasileira. Até quando vamos aceitar simplesmente essas pilhagens aos cofres que guardam ou deveriam guardar nosso dinheiro? A matéria é assinada por Fernando Gallo e Leandro Colon. www.estadao.com.br

II Encontro de Mairienses em Camaçari(??)

É sempre bom encontrar alguém da "terrinha", não é mesmo? Então, se você puder encontrar vários conterrâneos dessa mesma "terrinha" é mais interessante ainda, certo? Pois é: vai acontecer o II Encontro de Mairienses em Camaçari, dia 29/10/2011, onde os organizadores vão aproveitar o evento e prestar uma grande homenagem ao mairiense mais ilustre: Israelito Alves Barreiros, nosso querido Raé! Aliás, essa homenagem mais que justa, vem um pouco tarde. Não por culpa dos organizadores desse evento mas por culpa das autoridades tacanhas de Mairi que acham que os limites do município são Várzea da Roça, Baixa Grande, V. do Poço, etc., sem saber que a fronteira de Mairi foi estendida para além Brasil, através do som do Trio Elétrico Tapajós, do qual Raé fazia parte como o percussionista (caixa de repique) de stúdio. Por onde passava em excursões o nome de Mairi era divulgado. E isso ele fazia questão! Quando do seu falecimento, APENAS o AA (Alcoólicos Anônimos, fundado por ele)  e o Mairi Junior's, time do seu coração e que compôs o hino, renderam-lhe homenagens. As autoridades medíocres de Mairi sequer se lembraram do grande artista plástico que ele era: tem vários trabalhos de entalhe e pintura espalhados por muitos lugares do Brasil. A própria casa dele na Rua do Tanque tinha vários quadros pintados nas paredes internas, frutos da sua incrível criação. Outra faceta do Raé? O humor!! Tinha uma incrível capacidade de caricaturar alguém. Quem ele imitava, como diria minha mãe D. Matilde, "era iscrituzinho!!" Querem mais facetas? Treinador de futebol, Comentarista e Produtor de Resenha Esportiva nas rádios Morro Verde AM e Mairi FM. Pode parecer pouco mas qual outro mairiense fez tanto por nossa cidade?  Artistas, Cultura, Saber, em Mairi, quem "havera" de ver reconhecidos ou estimulados!!! Um grande beijo no seu coração meu querido "Quixe-Quixe" e continue alegrando as esferas angelicais com seu bom-humor quase infantil.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Outra do Ministro "Sanguessuga"

O Reinaldo Azevedo, de Veja, publicou no seu blog matéria de Vannildo Mendes, do Estadão. Veja abaixo:

Por Vannildo Mendes, no Estadão:



O carinho do ministro Mário Negromonte (Cidades) pela pequena Glória, cidade de 14 mil habitantes no norte da Bahia, não começou agora. Desde que sua mulher, Ena Vilma, assumiu a prefeitura do município, em 2009, ele resolveu fazer o possível para colocar a cidade de uma vez no mapa. Desde então, Glória vem bombando.
Para dar uma forcinha à mulher recém entronada, o então deputado Negromonte (PP) aprovou uma emenda de sua autoria em 2008 no valor de R$ 1.350.000, dinheiro que permitiu a aquisição de retroescavadeira, patrol, caminhões basculantes e outros equipamentos para uma espécie de “PAC Glorense”.
Já nomeado ministro, em janeiro deste ano, Negromonte participou da entrega dos equipamentos em carreata juntamente com a mulher e o filho, Mário Júnior, eleito deputado estadual (PP). Como rei do pedaço, ele prometeu mais benefícios à cidade, o que de fato vinha cumprindo até agosto, quando entrou na mira da faxina desencadeada pelo Palácio do Planalto. O vídeo do evento mostra a prefeita, num momento de grande entusiasmo, agradecendo “o empenho do ministro em suas ações voltadas para Glória”. Ela disse ter “a mais absoluta certeza de que essa será a tônica tanto do ministro Negromonte quanto do deputado Mário Júnior”.
Antes de o marido entrar na linha de tiro, a prefeita vinha sendo bafejada por recursos do orçamento federal e estadual. Só nos últimos dois meses, foram carreados R$ 2 milhões. Parte veio da caneta do maridão - R$ 975 mil tirados do Fundo Nacional de Segurança e Educação no Trânsito. A outra fatia, também de R$ 975 mil, veio do Ministério do Turismo. Outros R$ 160 mil chegaram em julho para elaboração do plano diretor da cidade. Negromonte informou que usou de forma legítima os recursos de sua cota parlamentar para beneficiar a região que representa. Ele negou ter privilegiado o município da mulher em detrimento de outros.
Por Reinaldo Azevedo


Prá Descontrair

Um avião com vários políticos cai numa fazenda em Minas Gerais: explosões, barulheira... e o "mineirim" que carpia perto dali foi ver o estrago. Após o fogo se apagar, cuidadosamente ele enterra todos os ocupantes. Na manhã seguinte chega um helicóptero da FAB e o Comandante avista o ôme e pergunta:
- O senhor presenciou o acidente?
- "Craro, uai!!
- E onde estão os ocupantes do avião?
- "Tudo interradim ali, ó!? - e apontou para um monte de covas.
- O senhor não devia ter enterrado não! São todos políticos importantes de Brasília...!!
- "Vai sabê quem era...!!
- Tinha algum vivo?
- "inté parecia ter. Arguns sacudia a mão...Mas do jeito que pulítico mente...

Pois é: tá faltando um monte de "mineirim" nesse País, não acham?

A Nomeação Rançosa

Parece que Jacobina está condenada a viver dias inglórios. As forças políticas da cidade estão, a meu ver, enfraquecidas ou, na pior das hipóteses, subjugadas. Muitos dos 19 municípios que compõem a 16ª Dires e muitos funcionários daquela Diretoria respiraram aliviados com a exoneração, na semana passada, da diretora do  órgão.  Eu mesmo soltei dúzias de foguetes mas foi tudo em vão: está publicada no DOE de hoje (24/08) a nomeação do velho ranço administrativo para novamente dirigir (barbeirando) a 16ª Dires. Tiro no pé. Quando me refiro às lideranças de Jacobina, é porque esperava-se para ocupar a direção da Direc, no mínimo, alguém ligado a essas mesmas lideranças. Qual nada! Valeu a força política do Prefeito de Várzea Nova! Não diminuo seu prestígio mas há bem pouco tempo atrás isso seria, no mínimo, incogitável. Quer saber, foi melhor assim: bom que os cargos importantes sejam indicados  e ocupados por pessoas "de fora". Assim não corremos o risco de uma indicação nefasta como a feita pelo Dr. Amaury Teixeira para a Dires. Já pensou?

terça-feira, 23 de agosto de 2011

"As Ispricação do Samuér Cilistino"

Pessoal, o grande jornalista baiano, Samuel Celestino, dá um show no seu comentário a respeito do polêmico e absurdo livro didático "Por Uma Vida Melhor" (??), comprado pelo MEC. Vejam só:
Fonte: Revista Veja, blog do Augusto Nunes.



Massilon J. Araújo
 - 
19/05/2011 às 15:56

Só para sentir um pouquinho das reações, veja o texto do jornalista baiano Samuel Celestino:

“Eu acho mermo qui o Ministero da Educação tem razão. A doção do livros “Por uma Vida Melhor” qui insina usar a língua dos portuguêz cum erro é qui tá certo. Pruqui o qui vale é a tar da oralidade. E não escrevê bunitim. Basta qui me intenda. Acho suficiente pruqui tudo são a merma língua. Curpados de tudo é os portuga qui inventaro conjugação verbá, esse tá de surjeto e outras maluquez. Surjeto é o qui noiz chama de vagabundo. Isso mermo. Surjeto é vagabundo, muleque muito discarado.Fica os jornalista, as mirdia e mais os qui pensa qui sabe os portuguez dizeno bobage. Eles é qui num entende cuma agente falamos. O Ministero de Educação taí prá dizê qui é certo e qui é errado, como tá no tar livro do MEC. Pruqui falá agente fala. Mais sem desmunhecá cum palavra difice. Pruquê ninguém intende mermo treco difice. Só os pouco. Os doutô, a tar de mirdia e pulítico mintiroso qui pede voto ni eleição adepois somem. Currupto até a arma o disgraçado não faz nada. Ingana agente pidindo voto. Adepois desaparece cum sua nega. Vai pros estrangero. Agente ficamos a ver catraia qui navio é coisa de rico.Agente ficamos pensando pruqui eles num arespeita iscola verdadera. A iscola qui o livro qué nós qué também, mais eles num qué. Tá pensando qui a iscola purblica insina diferente? Insina cuma este livro diz. Agente tem qui iscrever é como fala mermo. Sem frescura. Num tá vendo o nosso Lula? Taí! Quero ouvi da mirdia o qui diz dele…Se fala má dele é pruqui ele tem voto de noiz, pruqui fala cuma noiz e não se mete a besta dizeno borbage. Fala cuma língua qui noiz intende. Não cum lingua qui só serve prá engana noiz. Lula, não sinhô! Ele chega no cumiços, todo suadão cuma noiz, abre a boca e fala o qui nós pensa. Pruqui ele é nosso pai. Pai de pobre, não de dotô nem de mirdia di m.., qui só faz atrapaiá a nossa inteligênça.Esse Ministero tá certo, sim sinhô. Num tem qui mudá nosso jeito di dizê a coisas qui nós pensa. Noiz se entendemo e se pulitico não intende noiz, Lula intende. E se qué sabê, basta Lula, nosso pai, qui paga borça famiia prá agente escolhê se qué trabaiá ou não. Eu pur inxemplo: trabaio prá mostrá qui sô macho. Num priciso de ismola. A não ser a qui Lula deu e qui vai dá mais pruqui ele vai vortá pro guverno e quando ele vié noiz vota maiz nele e manda professozim de m… pru lugar qui merece, pruqui agente estamos mermo é cum Lula e ponto finá.Ponto finar não! Qui num tô findando. Num tô, não. Digo maiz pruqui naquele livro qui Ministero adotô ponto finá acabô e já faz tempão. Falo e ponto finá. Intendeu? Veja, ponto finá não significa qui acabei. É jeito de dizê e tá no livro do Ministero qui noiz diz cuma agente sabemo. Num qué deixá nós falá maiz, num é? É contra agente?Tempo verbá… Tempo verbá num ixiste, não. Isso acabô cuma acabô esse tar de sujeto, prerdicado, regença nominá, a merda toda. Agora tudo são substantivo. Tem mais. Acabô genuro, numero e grá. Chegô a hora nossa de acabá cum este purtuguez di dono de padaria. O tar do MEC disse assim. Pronto!O sinhô num é da mirdia? Qué mesmo sabê? Ninguém, maiz ninguém mermo, me tira da cabeça, onde tá minha inteligença bem aqui no cucuruto, qui este livro num é coisa inscrita pru Lula. Só ele pudia fazer isso pur noiz. Lula num fica dizendo qui falamos errado. Errado fala a mírdia, os dotô, professozim di merda, pulitico currupto e sua nêgas. Tá certo é Lula e este tar do MEC, do Ministero qui num sei o qui é, maiz já tô de xodó cum ele. Pruqui Lula e o tar do MEC respeita agente e as tá da oralidade qui é outro bicho istranho.Qui bicho qui é oralidade num sei não! Nim quero. Acho qui Lula é capaz de sabê pruque arretado ele é e diz. Maiz só se quizé dizê pruqui macho ele é. O home diz na cara, suadão daquele jeito cum aquele barrigão di quem sabe bebê o qui presta.Teminei inda não! Terminei nadinha! Num sei se a mírdia permite qui diga palavrão daqueles danado de bom qui agente enchemos a boca na base da tar oralidade. Carmo! Fica aí carmo! Diga a seu jorná prá esperá qui tem maiz coisinha. Esse tar de MEC foi Lula qui fez nas escundida, antes de deixá o Pranarto pra fazê conferença prá gringo. Faça mais não, Lula! Gringo não entende seu ingrês, pruqui me dizeram qui você fala má, mas é só pra gringo doidar. Vou acabá sim! Carma! Carma aí! Faz cuma o MEC fez. Purtuguez é cum esta tar de oralidade. Manda a mirdia prá m.. e vem falá cumo noiz pruqui assim agente se compreendemo.
Brigado pela intrivista! Ta entendeno mermo?
Em tempo – O livro “Por uma vida Melhor” adotado pelo MEC, com tiragem de 450 mil exemplares, foi “inscrito” pela Profa. Heloísa Ramos. Segundo ela, é correto falar e escrever sem regras gramaticais”.

  1. (Samuel Celestino)

O Comentário Obra Prima!!

Por Augusto Nunes/Veja




Os livro mais interessante estão emprestado

A menção a leituras informa que a frase reproduzida no título do post não foi pinçada de alguma discurseira de Lula. Mas os autores do livro didático “Por uma vida melhor”, chancelado pelo MEC, decerto se inspiraram na oratória indigente do Exterminador do Plural para a escolha de exemplos que ajudem a ensinar aos alunos do curso fundamental que  o no fim das palavras é tão dispensável quanto um apêndice supurado. O certo é falar errado, sustenta o papelório inverossímil.
A lição que convida ao extermínio da sinuosa consoante é um dos muitos momentos cafajestes dessa abjeta louvação da “norma popular da língua portuguesa”. Não é preciso aplicar a norma culta a concordâncias, aprendem os estudantes, porque “o fato de haver a palavra os (plural) já indica que se trata de mais de um livro”. Assim, continuam os exemplos, merece nota 10 quem achar que “nós pega o peixe”. E só podem espantar-se com um medonho “Os menino pega o peixe” os elitistas incorrigíveis.
“Muita gente diz o que se deve e o que não se deve falar e escrever tomando as regras estabelecidas para norma culta como padrão de correção de todas as formas linguísticas”, lamenta um trecho da obra. Por isso, o estudante que fala errado com bastante fluência “corre o risco de ser vítima de preconceito linguístico”. A isso foram reduzidos pelo Brasil de Lula e Dilma os professores que efetivamente educam: não passam de “preconceituosos linguísticos”.
“Não queremos ensinar errado, mas deixar claro que cada linguagem é adequada para uma situação”, alega Heloísa Ramos, uma das autoras da afronta. Em nota oficial, o MEC assumiu sem rubores a condição de cúmplice. “O papel da escola”, avisam os acólitos de Fernando Haddad, ” não é só o de ensinar a forma culta da língua, mas também o de combater o preconceito contra os alunos que falam linguagem popular”.
A professora Heloísa sentiu-se ofendida com a perplexidade provocada pelo assassinato a sangue frio da gramática, da ortografia e da lucidez.  “Não há irresponsabilidade de nossa parte”, garantiu. Há muito mais que isso. Há um crime hediondo contra a educação que merece tal nome, consumado com requintes de cinismo e arrogância. O Brasil vem afundando há oito anos num oceano de estupidez. Mas é a primeira vez que o governo se atreve a usar uma obra supostamente didática para difundi-la.
Poucas manifestações de elitismo são tão perversas quanto conceder aos brasileiros desvalidos o direito de nada aprender até a morte, advertiu o post reproduzido na seção Vale Reprise. As lições de idiotia endossadas pelo MEC prorrogaram o prazo de validade do título: a celebração da ignorância é um insulto aos pobres que estudam.
A Era da Mediocridade já foi longe demais.

A seguir o comentário do Samuel Celestino:





O Alimento do Manzá

Todo ser vivo precisa se alimentar, isso é óbvio e ululante (vixe!!) Só que a Natureza, como toda Mãe, também corre o risco de produzir seres amorais e anômalos e, mais especificamente, sem vergonha na cara. Infelizmente é assim. Estava pelas páginas da Veja e novamente encontro o nome do Deputado Federal pela Bahia, Mário Preto..., não..., afro-descend..., também não... Ah sim: Negromonte envolvido em falcatruas no Ministério das Cidades. Alguém está surpreso? Ainda bem que não. Parece que o homem tem um apetite de Manzá: não pode ver sangue. Peço desculpa àquele bichinho das águas de rio e tanques que, diferente de alguns deputados só se alimenta de sangue. Assim mesmo quando a vítima invade seu território! Já alguns políticos "manzás" comem tudo à sua volta: escola, segurança pública, transporte, AMBULÂNCIA!! e outras coisas que lhe causem apetite. Ô podridão de governo!!
P. S.: "Manzá" é como denominamos os sanguessugas das nossas águas. 

O "Velho" Sarney!!

Meus amigos vejam o que o Augusto Nunes, colunista da Veja publicou. Digno de aplausos, sem dúvida.




23/08/2011
 às 12:06 \ Direto ao Ponto

Na capitania hereditária, casos de polícia passeiam no helicóptero da polícia

O artigo 5° da Constituição informa que todos são iguais perante a lei. Menos os brasileiros mais iguais que os outros e o Homem Incomum José Sarney, precisa ressalvar algum parágrafo. Os mais iguais podem, por exemplo, viajar de graça em helicópteros cedidos por empresários amigos, que pagam a conta com o  lucro dos contratos sem licitação. É o caso do governador Sérgio Cabral, passageiro preferencial da EikAir. Ou do ministro Paulo Bernardo, premiado com um vale-transporte perpétuo na frota da construtora Sanches Tripoloni. (Tripoloni. Lembra tripulação, tripulante. O Brasil é mesmo o país da piada pronta).
Privilégios aéreos ainda mais impressionantes são os conferidos à singularidade que o ex-presidente Lula promoveu a Homem Incomum. Como se soube neste começo de semana, Sarney pode até fazer uma visita à casa de veraneio na ilha de Curupu a bordo do único helicóptero da Polícia Militar do Maranhão ─ e levando de carona um empreiteiro de estimação. Se a Justiça funcionasse como deveria, Madre Superiora já teria embarcado numa aeronave da PM para a viagem só de ida rumo a uma ilha-presídio. Como na capitania hereditária o vilão virou xerife, um caso de polícia passeia no helicóptero da polícia.
“Viajei a convite da governadora do Maranhão”, disse o pai da governadora do Maranhão. “Como chefe do Poder Legislativo, tenho direito a transporte e segurança em todo o Brasil”. Levou o troco de José Vicente da Silva Filho, coronel da reserva da PM paulista: “O senador tem estruturas próprias de segurança e apoio, inclusive pela condição de ex-presidente, com veículos e pessoal federal”, corrigiu o ex-secretário nacional de Segurança Pública. “O Ministério Público deve instaurar procedimento para apurar o fato, já que sobram evidências de crime de responsabilidade”.
Por enquanto, Sarney só não se livrou dos códigos morais em vigor no país que presta. Castigado pelo desprezo dos brasileiros decentes, tornou-se um colunista sem coluna, um escritor sem leitores, um ex-chefe de governo que cabe num asterisco e um homem público proibido de aparecer em público sem a proteção de cordões humanos. Ao completar 80 anos, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi homenageado até por adversários políticos. O 80° aniversário do Homem Incomum não mereceu mais que uma festa reunindo a Famiglia.
Tampouco escapará de ser castigado pela História. Daqui a poucos anos, o Brasil nem saberá quem foi José Sarney.

Eleições 2012

"Tá chegando a hora!" Esse pensamento deve passar pela cabeça de muitos picaretas que pretendem se candidatar a algum cargo no ano que vem. É preciso mais que cumprir a "obrigatoriedade do voto" nas próximas eleições: que tal os cidadãos de bem começarem a pensar em se candidatarem para os cargos que serão disponibilizados no próximo pleito? Não vai adiantar levantarmos num domingo mais cedo e, a contra gosto nos dirigirmos às nossas seções eleitorais e simplesmente votar! Tá mais que na hora de pararmos de reclamar e pensarmos com seriedade em encarar tal desafio. É fácil? Não!! Mas se não arregaçarmos as mangas agora, vamos ficar mais quatro anos indignados ao ouvirmos, pelo rádio, a transmissão de uma sessão da nossa Câmara de Vereadores. Furar a blindagem dos "famintos" vai ser difícil mas não impossível. O cidadão tem que acabar com a mania de achar que sua responsabilidade acaba após apertar o "Confirma" da urna eletrônica. Pelo contrário: aí é que ela aumenta. Afinal, foi ele quem "confirmou" um bom político (Executivo ou Legislativo) ou um reles ladrão. Vamos pensar nisso.

domingo, 21 de agosto de 2011

Denúncia à Ouvidoria/SESAB



Jacobina (BA), 07 de julho de 2011

À
Ouvidoria da SESAB
CAB.

Prezados senhores,

Eu, Orlando Dionísio de Araújo, matrícula 19-249.415-7, motorista, lotado na 16ª Dires, trago ao conhecimento e apreciação de V. Sª, algumas situações que estão acontecendo na administração da Drª Kátia Alves à frente da Regional:
1 – Desde sua nomeação, fizemos (eu e outros motoristas) inúmeras viagens a Salvador conduzindo-a  para fazer um curso (??) na Faculdade de Administração da UFBA, de quinta a sábado;
2 – Numa dessas viagens fui utilizado como “batedor” para sua filha, visto que a moça ia prestar concurso para o município de Camaçari, na localidade de Monte Gordo. Não adiantaram as minhas argumentações e, num domingo ensolarado, Estrada do Coco movimentadíssima, lá fomos para aquele Distrito de Camaçari com a viatura e combustível da Dires, seguidos pela moça em outro carro;
3 – Em visita a alguns municípios, não raro era solicitado a passar em Quixabeira (BA), sempre no fim da tarde onde ela aguardava sua filha cumprir a carga horária para levá-la para casa, num flagrante desvio de rota, já que o mesmo não seria alvo de visita oficial naqueles dias. Na maioria das vezes a Secretária de Saúde nem na cidade se encontrava;
4 -  Várias outras vezes éramos mandados a Salvador com a única finalidade de conduzir uma moça, sua amiga. Para justificar a viagem recebíamos a orientação da Coordenação Administrativa no sentido de passarmos no Alcen e apanhar “um material”. Às vezes os funcionários do Almoxarifado da Divep enviavam algumas caixas de seringa e só;
5 – Resolveu, essa senhora, de um dia para outro tomar atitudes retaliadoras a meu respeito: sem alegação ou justificativa alguma exigiu que o Coordenador de Transporte me deixasse fora da escala de viagens. Esse pleito absurdo não foi atendido, conforme poderá explicar oportunamente  a essa Ouvidoria o Sr. Paulo Henrique Rios Evangelista, Coordenador de Transporte àquela época e que também assina esta. O não cumprimento da ordem rendeu ao Paulo Henrique toda ira da Drª Kátia. O motorista Ademilton Brasileiro passou a ser seu “fiel escudeiro”  e grande beneficiário da “escala de viagem” que passou a ser feita por ela própria, em total desrespeito à Coordenação que ela própria, após reunião e votação unânime, nomeou via Circular Interna. Não preciso dizer que o transporte, que estava funcionando bem, degringolou de vez. Um extrato das diárias pagas de janeiro/2011 até a presente data lhes dará uma visão mais clara do direcionamento da maioria das viagens àquele colega;
6 – A 16ª Dires nunca em tempo algum foi tão humilhada como agora: ninguém no comércio de Jacobina fia um palito de fósforo. Estamos desde janeiro/2011 sem a regularidade do cafezinho, por exemplo. Chegamos à situação absurda de os funcionários, vez ou outra, levarem 250 gramas de café e 01 (hum) quilo de açúcar. A frota que  fora num  passado recente motivo de orgulho para os servidores e motoristas está num acelerado processo de sucateamento. Alguns veículos estão com os para-brisas totalmente danificados, sem nenhuma solução. E, como motorista, vejo um horizonte nebuloso no que diz respeito a esse item. Se um pneu furar e não tivermos dinheiro para pagar o conserto, ficamos na estrada. Somos obrigados a viajar sem nenhum centavo para possíveis despesas com os veículos(vide nota NÃO RESSARCIDA anexa). O argumento do Coordenador Administrativo é que “já gastamos todos os recursos” ou “não temos adiantamento para isso”. Olhamos em volta e não nos convencemos. E o pior é que apenas o Sr. Ademilton Brasileiro, motorista, recebe adiantamento para esse fim. Muito estranho;
7 – Sabemos que na unidade apenas o Diretor tem direito a carro, quando a serviço da Regional. Os outros casos são: quando em viagem ou participando de algum evento. O que acontece é uma farra: os colegas  apanham carro às 6:30hs da manhã, fazem todo serviço particular (levar filhos e netos na escola, fazem compras, etc). O ex Coordenador de Transporte (Paulo Henrique) tentou coibir tais abusos, em vão. Como disse antes, por querer trabalhar de forma correta o Sr. Paulo Henrique também está sofrendo perseguições gratuitas. O vai e vem sem controle acontece pela manhã, ao meio-dia e no fim do expediente com os carros sendo recolhidos por volta das 19:00hs e 19:30hs. O Sr. Luciano Lages finge não ver porque é o principal beneficiado com a irregularidade;
8 – A Coordenação Administrativa simplesmente não existe! Aliás, existe o cargo. O seu titular é uma piada se não fosse preocupante. Absolutamente incompetente, sem capacidade de discernimento para ponderar sobre quaisquer assuntos, permite e obedece às ordens do presidente da Copel; enfim, uma nulidade. Não consigo entender como o PT Baiano, que sabemos ser competente em termos de administração, nomeou uma Diretoria tão nula e tão rançosa!! O Coordenador Administrativo só não é nulo quando USURPA diárias (vide anexos) dos motoristas. É isso mesmo: faz inúmeras viagens como simples motorista apenas para receber as diárias sem se importar com os motorista da casa. Viajou de motorista com todas as outras Coordenações. Como Coordenador Administrativo viajou poucas vezes para Salvador e uma outra para Itaberaba, onde fora buscar um caminhão. Nessas poucas o veículo foi conduzido por motorista da casa. A dúvida é: quem respondia pela sua coordenação quando o mesmo estava de motorista pelos municípios?
9 – O Presidente da Copel, segundo rumores nos corredores e confirmado a mim pelo Sr. Coordenador Administrativo, entregou uma denúncia contra minha pessoa à Diretora. Já faz mais ou menos 4 (quatro) meses. Fiquei sabendo  e esperei  ser chamado para esclarecer ou, no mínimo, tomar conhecimento do teor da mesma e que a Comissão de Sindicância  fosse instalada para apurar o tal fato. Nada disso aconteceu. A agravante é que a hierarquia foi atropelada:  o Coordenador de Transporte sequer foi informado do fato. A partir daí minha situação piorou: fui julgado e condenado sem ao menos tomar conhecimento do teor da denúncia para me defender. Estou, ainda, há mais de um ano sem fazer uma viagem para Salvador, sem nenhuma explicação;
10 – Com o intuito de acabar com a farra dos pontos assinados sem presença do funcionário, de forma acertada o Governo do Estado está cobrando rigor com os Livros de Ponto. Justo!! Só que em Jacobina, quem pode “ir para Passárgada” não tem tido problema. Os  funcionários “da plebe” tem suas folhas riscadas e intimados a falar com a Direção. O mesmo não acontece com amigos da diretora que têm 240 horas e, quando vão à Dires, o fazem em um turno, chegando e saindo às vezes, em menos de 2 horas. É claro que a Drª Kátia sabe disso. Sinceramente acho que uma Auditoria completa na Regional seria bem interessante;
11 – Conforme V. Sª pode confirmar nos documentos anexos, nem uma reunião reiterada se consegue. O primeiro pedido foi parar na mesa da Diretora(??) Tal solicitação foi endereçada  ao Sr. Luciano lages, Bi Coordenador(Administrativo e Transporte!!) da Dires. A segunda solicitação de reunião sequer foi recebida pelo mesmo (vide anexos). Não consigo conceber uma Administração nesses moldes;
Para finalizar, com referência à denúncia feita pelo funcionário da Copel, peço encarecidamente a essa Ouvidoria que encontre a forma de designar a COPPAD para tratar do assunto. Não confio na lisura e na competência técnica de uma Comissão nomeada pela nossa Diretora. Acho que nada disso precisaria ser levado ao conhecimento dos senhores, bastando que estivéssemos sob uma Administração séria, competente, moderna e voltada para o cumprimento das tarefas para as quais foram criadas as Diretorias Regionais de Saúde.
Atenciosamente,
_______________________________________________ 
Orlando Dionísio de Araújo – Motorista
Cad. 19.249.415-7
E-mail: demairi@hotmail.com      Cel. 74 9983-0233




sábado, 20 de agosto de 2011

"Pense num absurdo, acontece na Bahia!!"

Essa célebre frase foi dita pelo então Governador da Bahia, Otávio Mangabeira, se não me falha a memória já sofrendo assédio de um certo alemão. Pois bem: sabemos das atrocidades cometidas pelo regime do III Reich, fruto do autoritarismo absoluto de Hitler, e até hoje causam dor e revolta. Era comum os covardes, para terem salvo conduto, delatarem inclusive membros das suas famílias e assim gozarem do benefício. Publiquei uma matéria há algum tempo atrás escrita pela Drª Consuelo Novaes Sampaio e estampada no jornal A Tarde, onde ela dá conta de que, para fazer com que os funcionários do estado que quase não iam trabalhar, efetivamente fossem obrigados a comparecerem aos seus locais de trabalho, o Excmº Secretário de Estado da Administração, Dr... (quem é mesmo o imbecil?) "convidava" os funcionários assíduos a delatarem os faltosos ou ausentes: o povo contra o povo, colegas contra colegas. Essa é a fórmula apresentada por um secretário de administração que, ao meu ver e ao ver de muitos outros indignados, assina o Atestado de Incompetência Administrativa. Enquanto ele espera que os funcionários públicos (humilhados e pilhados) se degladiem numa verdadeira carnificina administrativa, o seu (dele, felizmente!) PT enche as Secretarias do Estado de funcionários caros sem a menor competência a não ser a de se aproximarem da "cumpanheirada" para se darem bem! É o nazismo implantado no Estado. Agora, o pior é quando outro imbecil resolve copiar um modelo tão abominável quanto o citado! Nossa querida Jacobina está passando por esse processo no âmbito da 16ª Dires. Depois de uma passagem brilhante do Dr. Ivonildo Bastos por aquela Regional o desastre veio com força total, com a indicação da enfermeira Kátia Alves pelo Deputado Federal Amaury Teixeira. Aliás, o deputado transferiu recentemente seu domicílio eleitoral para Jacobina! Futuro candidato a Prefeito? Pois é: se seus votos para esse pleito dependerem do seu cabo eleitoral à frente da Dires a sua candidatura estará, com certeza, fadada ao fracasso. Quem quiser confirmar o Estado Nazista implantado dentro da Dires basta ficar nas suas imediações que será possível ouvir os gritos histéricos da Diretora na sala de reuniões dizendo que tem poder (Shirra!!) e que falou não sei com quem... Que alguns funcionários lhe "devem subserviência" e outras imbecilidades mais. De que forma ela traz para seu lado alguns "delatores"? Simples: oferece um Café da Manhã hoje, amanhã permite que façam alguma viagem que lhes renda 40% (quarenta por cento) do valor de uma diária (R$64,00), o que dá cerca de R$25,60 (vinte e cinco reais e sessenta centavos)!! Competência administrativa parece não ser o forte da "cumpanheirada". O absurdo começou no centro do Poder Estadual e desaguou na nossa pobre 16ª Dires. É muito azar de nossa parte. Né não?

Drogas


Pessoal, recebi esse e-mail de um amigo. O diálogo a seguir e a situação vivida é fictícia. Mas, quantas vezes essa situação e esse diálogo não aconteceram nas vidas de milhões de pessoas? Vamos ficar alertas e combater esse grande mal.

VAI UM TECO AE

 MALUCO???  


TRAFICANTE - Fala aê merrrmão...

FILHO - Me arruma um pó de cinqüenta...
TRAFICANTE - Segura aê...
FILHO - Valeu...
TRAFICANTE - O pó tá acabando... mas amanhã a gente vai invadir o morro ali do lado... Vamú tomá as boca e ficá cus bagulho...FILHO - Já é... Demorô... invade mermo... domina geral... Se entrar na frente mete bala de 'AK'...
TRAFICANTE - Valeu, 'preibóy'... É nois...
No outro dia...

MÃE - 
Bom dia meu filho... que cara é essa...??

FILHO - Nada...
MÃE - 
Você está bem? FILHO - Tô bem, pô!! Que saco.... me deixa em paz...merda. 
A essa altura, o filho ainda drogado se tranca no quarto. A mãe preocupada bate na porta... 

MÃE - 
Meu filho... estou indo pro trabalho... deixei seu café pronto, um beijo, fique com Deus.FILHO - Não enche... vai logo... 
A mãe pega o carro e se dirige ao trabalho, quando de repente em uma rua qualquer...


TRAFICANTE - 
Paraê Tia... perdeu... perdeu...

TRAFICANTE - 
Sai... Sai... Sai...(em desespero a pobre mulher tenta fugir e arranca com o carro - uma rajada de tiros acontece...)
Em casa o telefone toca...

FILHO
 - Alô!POLICIAL - Quem fala?

FILHO - Quer fala com quem?
POLICIAL - Aqui é o Tenente Alberto, eu poderia falar com algum parente da Sra Rita?FILHO Po...polícia?? (o filho desliga o telefone sem ouvir o policial) 
Minutos depois ele sai de casa pra comprar mais pó. 


Logo a frente tem uma visão terrível...
FILHO
 - Mãeeeeeeeeeeee !!! Não!!! Não!!!
FILHO - Como isso pode acontecer???
POLICIAL - Sinto muito, traficantes tentaram roubar o carro de sua mãe pra invadir um morro... eles a mataram... FILHO - Mãee! Nãão....

ANTES DE 'CURTIR' UMA ONDA NOVA,
ANTES DE DAR UM TEQUINHO INOCENTE,
ANTES DE FUMAR UM BAGULHINHO NATURAL, 
ANTES DE DAR DINHEIRO AO TRÁFICO
PARA QUE ELES COMPREM UM ARSENAL E
MATEM ALGUÉM QUE VOCÊ REALMENTE GOSTA,
PARE E FAÇA ALGO QUE VOCÊ NÃO FAZ HÁ MUITO TEMPO... PENSE!!!
ISSO TUDO QUE ESTÁ ACONTECENDO É CULPA DE QUEM USA DROGAS

E ENCHE O BOLSO DESSES TRAFICANTES DE DINHEIRO.

VAMOS PASSAR PRA FRENTE ESSE PROTESTO!!!

Quem compra drogas patrocina a violência!

A divulgação é de acordo com a consciência de cada um... 
Eu fiz a minha parte...
--